O conceito de Reputation é o principal destaque do sexto álbum inédito de Taylor Swift. A arte da capa já mostra a dualidade de Taylor, que entre o branco e o preto, o claro e o escuro – dominado por linhas de seu nome que remete à sua exposição nos meios de comunicação -, está disposta a revelar um lado bem diferente do que os fãs conhecem.

 

 

Dividido em duas partes, o álbum, produzido pela própria Taylor e em grande parte pelo lendário Max Martin, dá a largada com …Ready For It?, faixa que, sem delongas, investe no eletrônico e o hip-hop, resultando em uma pegada mais sombria e ofensiva (nos padrões de Swift, é claro). Essa sonoridade soturna comanda as sete primeiras músicas, como End Game (Ed Sheeran e Future dão uma senhora palhinha) e I Did Something Bad que com certeza passam longe dos hits fáceis e grudentos do antecessor 1989.

 

Don’t Blame MeDelicate completam o time da rebeldia até o primeiro single Look What You Made Me Do. A canção traz uma letra cheia de indiretas, além de deixar claro a intenção da cantora de “matar” seu passado. Contudo, chegando em So It Goes…, música que encerra o lado A (repare no detalhe das reticências), uma dúvida surge: será que Reputation representa uma mudança significativa na carreira de Taylor ou é apenas uma jogada de marketing? Lembrando que ela sempre soube se adaptar ao mercado, indo do country ao pop dance sem problema nenhum. O lado B (de boazinha) é o assopro de um álbum que começou mordendo.

 

 

Gorgeous é o característico pop romântico dela, e tem um delicioso refrão que irá dominar as declarações de amor por um bom tempo. Sendo assim, todo o começo “rebelde” fica no esquecimento para dar espaço à músicas convencionais como Getaway CarKing Of My Heart, Call It What You Want  – essas duas lembram bastante Lorde – e Dancing With Our Hands Tied. Essas faixas estão longe de ser consideradas fracas, mas não deixam de ser uma aposta segura para um trabalho que poderia ter sido 100% ousado, como a sensual Dress, por exemplo.

 

This Is Why We Can’t Have Nice Things e New Years Day encerram esta segunda parte fofa, que denuncia uma Taylor indecisa entre o que ela pode ser e o que ela já construiu. Reputation não é o bastante para matar a sua antiga imagem, de inocente e sonhadora moça de família. No máximo, é um promissor vislumbre do potencial dos próximos álbuns, que aí sim, uma nova Taylor poderá ressurgir.

 

Tracklist:

 

01. …Ready For It?
02. End Game (feat. Ed Sheeran e Future)
03. I Did Something Bad
04. Don’t Blame Me
05. Delicate
06. Look What You Made Me Do
07. So It Goes…
08. Gorgeous
09. Getaway Car
10. King Of My Heart
11. Dancing With Our Hands Tied
12. Dress
13. This Is Why We Can’t Have Nice Things
14. Call It What You Want
15. New Years Day

 

 

Clipe: