Nos últimos anos, andei dando uma chance para artistas que quase não ouvia. Principalmente em relação as principais vozes femininas da música pop. Tudo começou com o imperdível Joanne de Lady Gaga, resultando até uma inimaginável tarefa para mim: ouvir um álbum inteiro de Katy Perry.

 

Outra cantora que estava devendo uma redescoberta é P!nk. Com o sétimo trabalho de estúdio recém-lançado, a artista de Pennsylvania mostra que ainda está em boa forma, e sua voz continua imponente. Os inevitáveis efeitos de distorção apenas trabalham como um capricho da produção em vez de disfarçar problemas vocais, o que acontece usualmente na indústria.

 

Beautiful Trauma é simples em sua proposta: entregar canções fortes e otimistas, com aquela pitada de sarcasmo, marca registrada da P!nk. A faixa-título, Whatever You WantWhat About Us são destaques iniciais que deixam claro a força do álbum, que não se perde em nenhum minuto. Os destaques finais não ficam atrás com I Am Here representando o time. As baladas também entregam belos momentos como But We Lost It e a linda acústica Barbies, além de uma rara ousadia em Secrets.

 

Procurando algo para alegrar seu dia? Com certeza o novo álbum da P!nk deve estar entre suas opções.

 

Tracklist:

 

01. Beautiful Trauma
02. Revenge
03. Whatever You Want
04. What About Us
05. But We Lost It
06. Barbies
07. Where We Go
08. For Now
09. Secrets
10. Better Life
11. I Am Here
12. Wild Hearts Can’t Be Broken
13. You Get My Love

 

 


Os irmãos Gallagher são conhecidos por seus temperamentos fortes e opiniões não convencionais. Em relação à música, fizeram história com a Oasis e, após o fim, Noel estabeleceu uma sólida carreira solo com sua banda Noel Gallagher’s High Flying Birds, enquanto que seu irmão, só agora, resolveu se arriscar na indústria musical. As You Are, seu álbum de estreia, é um início digno do nome que carrega.

 

Trazendo o melhor do britpop marcado pela antiga banda, Liam sabe envolver o ouvinte com as agitadas Wall Of GlassGreedy SoulYou Better RunI Get By. Músicas que o diferem do trabalho do irmão, que prefere uma linha mais melódica e poética, enquanto ele investe na agressividade do rock alternativo tão característico dos anos 1990.

 

Contudo, isso não quer dizer que Liam é um moço sem sentimentos. Paper Crown e For What It’s Worth não devem nada aos clássicos da Oasis, e Chinatown só comprova o talento dele no violão. Um talento que merece ser continuado em projetos futuros.

 

Tracklist:

 

01. Wall Of Glass
02. Bold
03. Greedy Soul
04. Paper Crown
05. For What It’s Worth
06. When I’m In Need
07. You Better Run
08. I Get By
09. Chinatown
10. Come Back To Me
11. Universal Gleam
12. I’ve All I Need

 

 


Robert Plant poderia viver até hoje à custa do sucesso da Led Zeppelin, mas “acomodação” nunca esteve no vocabulário deste senhor de quase 70 anos.

 

Plant sempre procurou diferentes formas de se expressar, independente se o som escolhido agradaria aos fãs do rock. Nos últimos trabalhos, ele juntou-se com a banda The Sensational Space Shifters, e através desta parceria lança o quarto trabalho de estúdio: o relaxante e hipnótico Carry Fire.

 

O som predominante do álbum vem da música oriental, mais propriamente da cultura hindu, com a sitar sendo o instrumento base das faixas The May Queen e a faixa-título. Uma combinação perfeita com a voz melódica e suave que Plant adotou com o passar dos anos.

 

Plant, porém, não abre mão do peso que uma guitarra bem usada consegue dar. Essencial para a belíssima New World…, a badass Carving up the World Again… A Wall and Not a Fence e a setentista Bones Of Saints. Músicas que comprovam a versatilidade sonora de uma lenda não só do rock, mas da música em geral.

 

Tracklist:

 

01. The May Queen
02. New World…
03. Season’s Song
04. Dance With You Tonight
05. Carving up the World Again… A Wall and Not a Fence
06. A Way With Words
07. Carry Fire
08. Bones Of Saints
09. Keep It Hid
10. Bluebirds Over The Mountain
11. Heaven Sent