A teatralidade de Marilyn Manson ainda assusta os mais desavisados e cria uma certa resistência dos que acham que ele só quer aparecer. Não vou negar que o anticristo mais querido do capiroto sabe como chamar a atenção da pior maneira possível.

 

Mas verdade seja dita: Manson não sustentaria uma carreira de mais de 25 anos se não tivesse nada a oferecer. Não sou um fã assíduo do músico, mas sua entrega apaixonante ao que faz, e como faz, merece explodir o muro do preconceito.

 

O artista está vivendo uma de suas melhores fases. Depois do excelente The Pale Emperor, ele não deixa a cruz ensanguentada cair e compõe mais um álbum digno do seu pacto com o demônio. Heaven Upside Down é praticamente uma continuação do antecessor, porém com a marcante agressividade das origens.

 

Revelation #12 abre os trabalhos com o porradeiro rock industrial que Manson tem o pleno domínio. A partir daí é um hit atrás do outro, passando por questões políticas em We Know Where You Fucking Live, o hino satanista Say10 e um flerte com o pop na melódica Kill4Me. Estas são apenas algumas amostras de um trabalho inspirado do começo ao fim. Afinal, estamos falando do anticristo em pessoa, ou melhor, do novo Je$u$ Cri$i$.

 

Tracklist:

 

01. Revelation #12
02. Tattooed In Reverse
03. We Know Where You Fucking Live
04. Say10
05. Kill4Me
06. Saturnalia
07. Je$u$ Cri$i$
08. Blood Honey
09. Heaven Upside Down
10. Threats Of Romance

 

 


Se não bastasse Paul Thomas Anderson já me presentar com obras-primas do cinema (O Mestre, Vício Inerente), o seu bom gosto musical ainda me faz conhecer preciosidades como a banda HAIM. O diretor foi responsável por dirigir os clipes do segundo álbum de estúdio, Something To Tell You, desta banda formada por três irmãs multi-instrumentalistas.

 

O grupo é mais uma prova (e eu não canso de apresentá-las por aqui) de que o pop é sim um estilo riquíssimo de sonoridade. O álbum é formado por 11 faixas que, como poucos artistas conseguem, trazem uma presença e identidade próprias. No mínimo, nove músicas poderiam se tornar singles sem nenhum tipo de problema. As românticas Want You Back, a faixa-título e Right Now não devem nada e ainda superam vários sucessos que enchem as rádios de mesmice. É claro que em algumas canções, por serem experimentais, acabam distanciando-se um pouco da consistência das outras. Nada que enfraqueça um trabalho deliciosamente cativante e que com certeza irá embalar sua vida com as viciantes Little Of Your LoveReady For You.

 

Sei que não sou um Paul Thomas Anderson, mas espero que você vá conhecer HAIM depois da minha recomendação.

 

Tracklist:

 

01. Want You Back
02. Nothing’s Wrong
03. Little Of Your Love
04. Ready For You
05. Something To Tell You
06. You Never Knew
07. Kept Me Crying
08. Found It In Silence
09. Walking Away
10. Right Now
11. Night So Long

 

 


Antes do Big Bang, o rock e o rap eram estilos musicais exclusivamente de contra-cultura, que serviam de meio para críticas contra tudo e todos. No entanto, com o passar do tempo, ambos se popularizaram-se, fazendo o grande público ter uma noção diferente do que representam.

 

Nos anos 1990, Rage Against The Machine explodiu cabeças e se fez ouvir juntando o melhor dos dois mundos, retornando aquela veia contestadora tão necessária neles. Após o término da banda, e uma passagem pela memorável Audioslave, o trio formado por Tim Commerford, Tom Morello e Brad Wilk retorna com mais um supergrupo, agora com integrantes da Public EnemyCypress Hill, batizado de Prophets Of Rage.

 

A proposta é a mesma do RATM: críticas sociais – Trump é um dos principais alvos – por meio do rap, enquanto o rock pesado rola solto no fundo. A diferença é que Prophets é uma evolução natural de sua mãe. A banda apresenta uma variedade maior de sonoridade, como a alternativa Legalize Me, o funk de Take Me Higher e o hard rock de Hail To The Chief e Who Owns Who. Além dos diferentes vocalistas que dão uma dinâmica empolgante às músicas.

 

Um álbum para Unfuck The World no melhor estilo possível.

 

Tracklist:

 

01. Radical Eyes
02. Unfuck The World
03. Legalize Me
04. Living On The 110
05. The Counteroffensive
06. Hail To The Chief
07. Take Me Higher
08. Strength In Numbers
09. Fired A Shot
10. Who Owns Who
11. Hands Up
12. Smashit