Depois de acompanhar a ascensão de Pablo Escobar (Wagner Moura) na primeira temporada, a série Narcos retorna, neste segundo ano, para mostrar os últimos momentos de vida do narcotraficante. O destino de Escobar nem pode ser considerado spoiler, pois quem conhece o mínimo de sua história, sabe o que aconteceu. Os dez episódios recentes são como uma contagem regressiva até o seu fatídico fim, mostrando a queda do império do Cartel de Medellín e o nascimento de um novo reinado que se estabelecerá no país. Pois o narcotráfico é como a Quimera, quando se corta uma cabeça, duas novas nascem.

 

Narcos01

 

A segunda temporada não tinha mais a obrigação de resumir vários anos do “trabalho” de Pablo, por isso a escolha acertada foi focar na caça ao traficante. Deste modo, passando o maior tempo escondido com a família, se vê um Escobar mais cauteloso e atencioso com os filhos e a mulher Tata (Paulina Gaitan), que nesta temporada ganha mais destaque. É difícil não temer pelo destino do personagem por causa do lado humano entregue por Moura, um lado que faz as pessoas sentirem empatia por criminosos como Don Corleone, Tony Soprano e até Walter White. Em contrapartida, a série faz questão de lembrar quem foi o patrão do mal, a cada assassinato a sangue frio e morte de crianças inocentes. Um homem que para proteger sua família, não hesita em destruir outras.

 

Com certeza essa temporada deixará os fãs de ação satisfeitos. Por tratar-se de um jogo de gato e rato, não falta tiroteios e explosões, no melhor estilo “estética Padilha”, com muita câmera na mão e violência crua e gráfica. O Bloco de Busca da Polícia da Colômbia ofusca o núcleo dos agentes da DEA, que mesmo com novos personagens, tem pouca coisa a acrescentar. Steve Murphy (Boyd Holbrook), narrador off da série e um dos protagonistas do ano anterior, é negligenciado pelos roteiristas por não ter um arco definido, resumindo-se a um coadjuvante de luxo. Do outro lado da “plata”, Javier Peña (Pedro Pascal), junto com Limón (Leynar Gomez), tem suas vidas completamente transformadas e, sem dúvida, estão entre os melhores personagens desta temporada.

 

Narcos02

 

A série também mostra o lado político da história, os bastidores cheio de jogos de interesses. O presidente César Gaviria (Raúl Méndez) ultrapassa seus próprios limites ao chamar Carrillo (Maurice Compte) para a operação (ou a caça). Embora saiba que o Coronel é o homem certo para o cargo, também sabe que ele fará de tudo para matar Pablo. Curioso notar que Carrillo é uma versão colombiana de Capitão Nascimento, personagem aclamado como “herói” brasileiro nas sessões de Tropa de Elite. Um herói que tortura seus prisioneiros (não importa se é inocente) e explode a cabeça deles sem julgamento. Um monstro que satisfaz as necessidades obscuras da sociedade.

 

Ao mesmo tempo que a série acompanha a caçada à Escobar, ela também mostra o fortalecimento do Cartel de Cali, que ao perceber o declínio do concorrente, se avança para dominar Medellín. Esse núcleo é uma prova de que a série pode ir além de Escobar, em um mundo que é muito maior do que se pode imaginar, e a Netflix já o estendeu por mais duas temporadas.

 

Narcos03

 

Narcos arrebenta portas com uma segunda temporada eletrizante, violenta e que traz um estudo de personagem revelando as várias faces de Pablo Escobar. Não importa se homens como ele são classificados como demônios ou deuses, no fim das contas, são seres humanos complexos que não podem ser definidos por um simples dualismo banal.

 

04-otimo

 

Trailer: