SomebodySteven Tyler, vocalista da Aerosmith, resolveu trocar de ares, saindo do hard rock para o country em seu recente álbum solo: We’re All Somebody From Somewhere.

 

É claro que essa mudança de som não tem a ver só com o músico tentar reciclar-se em novo terreno, mas porque o country, atualmente, é um dos meios mais lucrativos da música norte-americana.

 

Independente dos motivos que o levaram a essa investida, é irônico perceber que os melhores momentos do álbum são com músicas que lembram à sua banda, como My Own Worst EnemyThe Good, The Bad, The Ugly & Me. Consigo visualiza-las em qualquer show da Aerosmith.

 

No entanto, faixas como I Make My Own SunshineSomebody NewRed, White & You resumem o clima descompromissado do trabalho, focado na diversão que libera aquele sorriso sincero do rosto. Love Is Your Name é o grande acerto de Tyler no country, que faz até esquecer das derrapadas chamadas Hold On (Won’t Let Go)  – sério, o que ele tentou aqui? – e It Ain’t Easy, entre outras músicas mornas.

 

We’re All Somebody From Somewhere é para ouvir e curtir, enquanto caminha nos campos verdes e floridos, ou vê o pôr do sol das cidades grandes.

 

Tracklist:

 

01. My Own Worst Enemy
02. We’re All Somebody From Somewhere
03. Hold On (Won’t Let Go)
04. It Ain’t Easy
05. Love Is Your Name
06. I Make My Own Sunshine
07. Gypsy Girl
08. Somebody New
09. Only Heaven
10. The Good, The Bad, The Ugly & Me
11. Red, White & You
12. Sweet Louisiana
13. What Am I Doin’ Right?
14. Janie’s Got A Gun
15. Piece Of My Heart

 

03-bom

 


CapitalacusticoEm 2000, Capital Inicial ressurgia para o cenário musical com o épico Acústico MTV. Agora, 16 anos depois, a banda brasiliense volta ao formato em um show mais elaborado e menos impactante.

 

Acústico NYC acerta em não repetir nenhum sucesso da apresentação citada, tocando os hits recentes na maior parte do repertório. O que acaba sendo também um dos pontos fracos do projeto, já que poucas músicas novas equivalem-se aos clássicos da banda.

 

Dividido em duas partes, o show é correto, sem muita improvisação ou uma entrega maior de Dinho Ouro Preto no vocal, tanto que Seu Jorge rouba o palco quando faz parceria com o vocalista. Jorge participa na inédita Vai e Vem, que soa apenas satisfatória.

 

Contudo, a banda tem algumas cartas na manga, principalmente do sensacional álbum Rosas e Vinho Tinto, que domina o setlist, trazendo as famosas Mais, Como Devia Estar, À Sua Maneira e, um dos poucos momentos agitados, Quatro Vezes Você. A parceria com Lenine também é fantástica. Ouvir Tempo Perdido do Legião Urbana com ele era algo que eu queria, mas não sabia. Vamos Comemorar, minha canção favorita da fase pop, perde um pouco da força na versão acústica, porém continua linda.

 

Antes do já anunciado novo álbum, Capital Inicial entrega a versão acústica da sua fase pop, sem a áurea de outrora, mas com a dignidade de sua história.

 

Tracklist:

 

Disco 1

 

01. Ressurreição
02. A Mina
03. Mais
04. Depois Da Meia-Noite
05. Como Devia Estar
06. Doce e Amargo
07. Respirar Você
08. O Lado Escuro da Lua
09. Coração Vazio
10. Olhos Vermelhos
11. Algum Dia

 

Disco 2

 

01. Melhor do que Ontem
02. Como Se Sente
03. Vai e Vem – Part. Seu Jorge
04. Belos e Malditos
05. À Sua Maneira (De Música Ligera) – Part. Seu Jorge
06. Vamos Comemorar
07. O Cristo Redentor
08. Não Olhe Pra Trás – Part. Lenine
09. Tempo Perdido
10. Eu Nunca Disse Adeus
11. Me Encontra
12. Quatro Vezes Você

 

03-bom