Sem muita delonga, a continuação da lista:

 

10. Fallen – Evanescence (2003)

 

 

Deixei minha mãe louca com a frequência que ouvia esse disco. Ela não aguentava mais ouvir Amy Lee “gritando” no som. No meu caso, sempre amarei seus gritos.

 

09. Imaginaerum – Nightwish (2011)

 

 

Embora o álbum Once seja o maior sucesso comercial da banda, foi com Imaginaerum que virei dependente sonoro desses finlandeses. Com este álbum, meus sonhos e pesadelos ganharam uma nova trilha sonora.

 

08. Wasting Light – Foo Fighters (2011)

 

 

Depois de um hiato, Foo Fighters retorna com essa porrada chamada Wasting Light que me deixou desnorteado até hoje. Memorável.

 

07. The Resistance – Muse (2009)

 

 

Um dos meus discos favoritos e um marco do rock. Muse reinventou o gênero para o cenário contemporâneo, tanto no som quanto nas letras contestadoras. The Resistance foi o auge atingido, além de ter o hino Uprising.

 

06. The Strange Case Of… – Halestorm (2012)

 

 

“Que banda é essa que ganhou o Grammy por Love Bites (So Do I)?”. Me perguntava na época. A resposta: uma banda foda pra caralho que entrou na minha vida para nunca mais sair. The Strange Case Of… é obrigatório para qualquer fã de rock.

 

05. .5: The Gray Chapter – Slipknot (2014)

 

 

 .5: The Gray Chapter é fácil um dos álbuns mais presentes no meu mp3. Um trabalho que me fez entender melhor Slipknot, uma banda que não se acomoda em seguir uma fórmula, surpreendendo a cada lançamento inédito. Principalmente quando vem após uma tempestade.

 

04. House Of Gold And Bones – Stone Sour (2012)

 

 

Dividido em dois volumes, House Of Gold And Bones é o auge da Stone Sour. Independente do rock objetivo do vol. 1 ou da complexidade do segundo, juntos, eles formam uma verdadeira obra prima do gênero.

 

03. Dark Horse – Nickelback (2008)

 

 

“Como assim Nickelback? Eles não são rock. São uma merda pop e blá blá blá“. Dark Horse é para você botar no som quando alguém vir com este papinho sem sentido. Muitas bandas clássicas não conseguiram lançar um trabalho deste nível recentemente. Os canadenses chutaram bundas com este álbum.

 

02. Modern Vintage – Sixx: A.M. (2014)

 

 

 

Um álbum fora da curva do Sixx: A.M., mas no bom sentido. Totalmente compromissado em divertir, a banda investiu em suas influências setentistas para realizar um disco temático incrível. Uma união de feeling e energia que está em cada faixa de Modern Vintage. Recomendação máxima.

 

01.  Crush – Bon Jovi (2000)

 

 

Nada melhor do que um álbum do início do século para fechar a lista. Este trabalho mudou de vez o rumo da Bon Jovi para um som mais comercial, mas sem deixar a essência deles de lado. Quando a indústria estava infestada de Boys Bands, e parecia que o rock não teria mais vida nas rádios, Crush veio para por ordem na casa com o último grande hino da banda: It’s My Life.    


Curtiu a lista? Identificou-se com algum álbum? Deixe nos comentários sobre quais álbuns te marcaram nesses últimos 16 anos.