Após o premiado Stadium Arcadium, Red Hot Chili Peppers não teve uma vida fácil, muito por causa da saída de John Frusciante, que danificou a perfeita química entre os integrantes. O resultado disso foi o álbum seguinte, I’m With You, que mostrou-se perdido e o novo guitarrista Josh Klinghoffer não disse a que veio. Assim, um futuro incerto se estabelecia para a banda.

 

Um futuro que chegou em The Getaway, décimo-primeiro álbum inédito. Neste trabalho, RHCP se reinventa, começando pelos bastidores com a troca de produtor: sai o cultuado Rick Rubin, entra o talentoso Danger Mouse. A mudança sonora é perceptível, a agressividade fica de lado para dar lugar a um som suave e intimista. Um estilo influenciado pela separação de Anthony Kiedis com a mulher, que fez Mouse recomeçar o projeto do zero para que o vocalista pudesse focar em letras pessoais. Definitivamente um álbum para ouvir-se mais com o coração do que com o corpo.

 

Red2

 

Embora Klinghoffer ainda não seja protagonista na função, está muito melhor como coadjuvante. The Longest Wave (lembra um pouco Beatles) e Encore são bons momentos do guitarrista que, no geral, entrega um toque psicodelista ao disco. Afinal, um rock mais pesado só vai ser encontrado nas boas This Ticonderoga e Detroit. Exceções de um trabalho que transpira influências vindas do funk e psicodelismo, tendo o auge na memorável Feasting On The Flowers. Desta vez, passaram longe de algo como Higher Ground, o que não é necessariamente ruim, já que sempre espero novidades de músicos diversificados como os da RHCP.

 

Uma novidade que pede um pouco de paciência do ouvinte, pois no meu caso, só comecei a perceber as belezas de The Getaway na terceira audição, e dali adiante, virou um vício. A mixagem de Nigel Godrich está perfeita, equilibrando todos os instrumentos em um som limpo que traz belíssimas harmonias (os back vocais são hipnotizantes). We Turn Red, Go Robot e a faixa-título são ótimos exemplos deste trabalho, e até é complicado destacar alguma faixa, pois cada uma tem sua própria particularidade que a faz marcante.

 

Red1

 

Chad Smith (bateria) e Flea (baixo) continuam como grandes destaques, com o baixista sendo o dono do álbum, tanto no instrumento usual quanto no piano. O primeiro single Dark Necessities é linda demais, fácil uma de minhas favoritas. Contudo, o “pianista” ainda esbanja talento em The HunterDreams Of a Samurai, além de dar algo a mais para músicas que poderiam passar despercebidas como Goodbye AngelsSick Love, esta última composta por nada mais nada menos do que Elton John.

 

Concluindo, Red Hot Chili Peppers desacelera a famosa pegada frenética da banda em The Getaway – Kiedis abusa menos do hip-hop -, para propor uma viagem sonora pessoal e melódica, que encanta por seus detalhes e a diversidade dos integrantes. Um novo caminho que foge da velha e segura mesmice.

 

Tracklist:

 

01. The Getaway
02. Dark Necessities
03. We Turn Red
04. The Longest Wave
05. Goodbye Angels
06. Sick Love
07. Go Robot
08. Feasting On The Flowers
09. Detroit
10. This Ticonderoga
11. Encore
12. The Hunter
13. Dreams Of a Samurai

 

04-otimo

 

Clipe: