A mágica da literatura talvez seja que a interpretação de uma obra pode não ser a mesma para mim e para você. Temos liberdade de acharmos o que quisermos, isso sem contar que não existe nada mais particular que a experiência de leitura. Só eu sei o que senti quando li Crime e Castigo ou Ensaio Sobre a Cegueira.  É por isso que não acredito em livros de autoajuda. Não posso concordar que uma única fórmula pronta pode ajudar pessoas que são diferentes umas das outras. Se nem ao mesmo a interpretação da leitura é a mesma, que dirá o resto, a prática…

 

Quando a vida anda meio manca, quando o coração tá meio solitário, tem algo que me serve de pílula. Bem, se não for realmente um remédio, será uma ótima distração. É verdade que qualquer livro pode ajudar nessa tarefa, mas os livros infantis têm participação especial no quesito “ajudar corações sofridos”. Além disso, eles têm maravilhosas ilustrações e claro, simples conselhos, que quando crescemos, muitas vezes nos esquecemos.

 

Para ajudar você na escolha desses pequenos grandes livros, fiz um pequeno compêndio. Estão aí alguns dos meus favoritos. Li a maioria quando já adulta, o que não fez diferença, porque me encantou como se eu tivesse oito anos de idade novamente.

 

Gruffalo

 

O Grúfalo – Júlia Donaldson e Axel Scheffler

 

O Grúfalo vai nos contar a historinha de um monstro imaginário criado por um ratinho bem esperto e criativo. Tem adaptação para o cinema.

 

Ajidar: O dragão da Terra – Marjane Satrapi

 

Matilde terá que viajar ao centro da terra para salvar seu país. Corajosa, ela vai conhecer muitas criaturas só aparentemente assustadoras.

 

Clara – Ilan Brenman e Silvana Rando

 

Esse livro é daqueles bem infantis, indicado para as crianças que estão começando a ler. Mas as ilustrações e as frases são tão engraçadas que vale a pena mesmo assim.

 

Oz

 

O Mágico de Oz – L. Frank Baum

 

Um clássico é sempre um clássico. O Mágico de Oz pode falar sobre muitas coisas, poder, magia, amizade e como é bom voltar para casa.

 

Felizmente, o leite – Neil Gaiman

 

Gaiman tem quase uma biblioteca de livros infantis. O escritor de Sandman adora contar histórias e essa é bastante engraçada. Um pai vai em busca de leite para seus filhos e no percurso de volta encontra alienígenas, piratas, vampiros e outras criaturas. Bom, isso é o que ele diz.

 

Instruções – Neil Gaiman

 

Em algum momento você passará por uma jornada. Pode não ser esse o nome que você vai usar, mas de fato será uma jornada. Esse livrinho te dará todas as instruções que precisa ter para passar por qualquer jornada, inclusive a da vida.

 

O touro Ferdinando – Munro Leaf

 

Quem diria que uma historinha de criança tão fofinha pode nos por a pensar em estereótipo? Tem curta da Disney e mesmo não sendo totalmente fiel é bastante bonito.

 Monstros

 

Onde vivem os monstros – Maurice Sendak

 

Um dos meus preferidos.  Simples e denso. Foi diversas vezes citado nos livros de Stephen King, muitas outras usado como referência e tem uma adaptação linda para o cinema.

 

Coleção Quem tem medo

 

Conheci a coleção “Quem tem medo” ainda criança, por isso ela tem um peso grande em minha vida. Todo mundo tem medo. Criança, então, muito mais. Cada livro da coleção vai trazer um medo diferente e como as crianças reagem e lidam com essas situações. Sou adepta de livros e histórias de terror desde muito cedo, mesmo que inconscientemente, aprendi que ter medo é natural e até gostoso. O bom do medo é não se deixar dominar e você só aprende isso na prática. Disse Neil Gaiman: “Se você for protegido das coisas obscuras, não terá nenhuma defesa quando elas aparecerem”.

 

Felpo Filva – Eva Furnari

 

Só esse nome já dá vontade de rir. Felpo Filva é um coelho escritor bem neurótico. Ele vai trocar correspondência com uma coelha e toda uma história vai se desenvolver a partir dessas correspondências. Muito engraçado e as ilustrações são lindas!

 

No final, siga as instruções, dê risada, chore. Ser criança é o único passado que deva ser ao menos minimamente conservado e lembrado.