AsylumHighly Suspect é outra novidade que acabei descobrindo pela rádio, um novo costume que vem rendendo bons frutos (confira minhas últimas colheitas em Coração, Alma e Novos horizontes).

 

O trio norte-americano formado por Rich Meyer (vocal), Ryan Meyer (bateria) e Johnny Stevens (guitarra) apresenta um rock alternativo bem interessante, inspirado em bandas como The Black Keys, Queens Of The Stone AgeKings Of Leon, mas nada me tira da cabeça que eles também soam como uma boa mistura de Pearl Jam com Soundgarden.

 

Contudo, longe de ser apenas uma cópia das bandas citadas, eles tem qualidade de sobra para diferenciar-se no meio musical e, com o recente álbum Mister Asylum, definitivamente cravam seus pés no cenário do rock. Músicas como LydiaBloodfeather já são sucessos presentes nas rádios e com todo o mérito, porém ainda são a ponta do iceberg de um trabalho que merece ser ouvido.

 

Tracklist:

 

01. Mister Asylum
02. Lost
03. Lydia
04. Bath Salts
05. 23 (feat. Sasha Dobson)
06. Mom
07. Bloodfeather
08. F**k Me Up
09. Vanity
10. Claudeland

 

04-otimo

 


LeppardA clássica banda Def Leppard volta após sete anos com o álbum inédito homônimo, um retorno às origens e ao som que marcou o auge dela.

 

Sim, é um trabalho recheado do mais do mesmo, com uma sonoridade que tenta remeter ao clássico Hysteria. O problema é que diferente da banda alemã Scorpions que voltou com esta mesma proposta, porém compensaram com músicas empolgantes do começo ao fim do ótimo Return To Forever, Leppard não consegue repetir a façanha e lança um álbum repleto de faixas genéricas – mas que não deixam de grudar na cabeça com os refrões chicletes – que devem cair no esquecimento com o tempo. No entanto, algumas músicas valem a audição como Man EnoughWe Belong, Last Dance e a abertura Let’s Go que respira anos 80.

 

Um álbum para ouvir sem ter grandes expectativas.

 

Tracklist:

 

01. Let’s Go
02. Dangerous
03. Man Enough
04. We Belong
05. Invincible
06. Sea Of Love
07. Energized
08. All Time High
09. Battle Of My Own
10. Broke ‘N’ Brokenhearted
11. Forever Young
12. Last Dance
13. Wings of an Angel
14. Blind Faith

 

 


 

HotThe Winery Dogs é uma super banda que dispensa comentários. Formada por excelentes músicos entre eles o baterista Mike Portnoy (Dream Theater), o baixista Billy Sheehan (Mr. Big) e o multi talentoso Richie Kotzen (Poison), não é a toa que a cada lançamento deles se crie uma grande expectativa.

 

Hot Streak é o segundo trabalho do trio, sucedendo o elogiado álbum homônimo de estreia. Durante as 13 faixas não há dúvidas da competência dos caras, porém em grande parte delas, eles não conseguem soar como uma banda, tendo uma necessidade de cada um ter seu próprio espaço para brilhar.

 

Solos de guitarra, baixo, bateria, muitas vezes uma variação de cada instrumento, acaba tornando tudo muito confuso sem um estilo definido (seria uma orgia do progressivo com o metal e o hard rock?) e, mesmo após várias ouvidas, não consegui ver uma identidade marcante que me faça lembrar das músicas. Infelizmente algumas delas até acabam se prolongando mais do que deveriam como o caso da faixa-título.

 

Enfim, um álbum que é exemplar pela técnica de seus integrantes, mas com certeza poderia ser melhor lapidado.

 

Tracklist:

 

01. Oblivion
02. Captain Love
03. Hot Streak
04. How Long
05. Empire
06. Fire
07. Ghost Town
08. The Bridge
09. War Machine
10. Spiral
11. Devil You Know
12. Think It Over
13. The Lamb

 

03-bom