Scorpions O rock não morreu, só estava curtindo umas férias. Fora as frases de efeito, é com prazer que comento sobre o recente álbum da banda alemã Scorpions, uma das mais clássicas do rock e que recentemente chegou à marca de 50 anos.

 

O vocalista Klaus Maine anunciou, quando este site ainda estava gatinhando em 2010, que Sting In The Tail seria a despedida da banda aos trabalhos inéditos. Contudo, após um álbum de regravações, uma longa turnê de aposentadoria e um show acústico, a banda retorna com o inédito Return To Forever.

 

Um trabalho que deste a primeira audição não soa gratuito, e mostra que a banda ainda tem muito fôlego para deixar qualquer roqueiro feliz. É verdade que os alemães não se arriscam muito e preferem trabalhar na zona de conforto com um som que os fãs esperam, apresentando o bom e velho rock farofa que os consagrou.

 

Interessante notar que, ao ouvir as faixas, elas soam como velhas conhecidas como a já clássica We Built This House. Mesmo com o contra ponto de o álbum ter muitas músicas repetitivas – poderia ser mais enxuto – , porém ele soa empolgante, viciante e agradável como nas músicas House Of Cards (linda balada acústica), as conhecidas Rock ‘N’ Roll Band e Dancing With the Moonlight e a dançante The Scratch. Neste caso, o mais do mesmo foi sabidamente trabalhado, diferente de alguns australianos. E que a Scorpions tenha mais 50 anos pela frente.

 

Tracklist:

 

01. Going Out With a Bang
02. We Built This House
03. Rock My Car
04. House Of Cards
05. All For One
06. Rock ‘N’ Roll Band
07. Catch Your Luck And Play
08. Rollin’ Home
09. Hard Rockin’ The Place
10. Eye Of The Storm
11. The Scratch
12. Gypsy Life
13. The World We Used To Know
14. Dancing With The Moonlight
15. When The Truth Is a Lie
16. Who We Are

 

04-otimo

 


MansonMarilyn Manson é um dos mais famosos expoentes do metal industrial, um estilo que junta o peso do metal com grande influência na música eletrônica. Depois do ótimo Born Villain, Manson escolhe outro caminho para seguir em The Pale Emperor. Quem ouviu apenas o primeiro single Deep Six pode pensar que o músico continuaria com a mesma pegada da carreira, mas ele mostra que não é fã da mesmice e surpreende em todos aspectos.

 

Através de um álbum experimental e com um pé no alternativo, Manson se renova como artista. Essa escolha pode desagradar os fãs xiitas, porém é interessante ver Manson tentar novos sons e mostrar uma maturidade como músico. Com isso, podemos desfrutar belas músicas como a hipnótica Killing Strangers (que pode ser conferida no filme De Volta ao Jogo), Third Day Of a Seven Day Binge e a viciante The Devil Beneath My Feet.

 

Verdade que o ritmo da bateria parece repetir-se em diversos momentos, dando uma familiaridade entre as faixas, mas nada que atrapalhe essa experiência nova que Manson propõe, e com certeza vinda de um dos seus melhores trabalhos.

 

Tracklist:

 

01. Killing Strangers
02. Deep Six
03. Third Day Of a Seven Day Binge
04. The Mephistopheles Of Los Angeles
05. Warship My Wreck
06. Slave Only Dreams To Be King
07. The Devil Beneath My Feet
08. Birds Of Hell Awaiting
09. Cupid Carries a Gun
10. Odds Of Even

 

04-otimo