5 O recente trabalho do Slipknot, .5: The Gray Chapter, significa muito para a banda, pois após o último álbum, os integrantes tiveram que enfrentar a fatalidade que foi a morte do baixista Paul Gray e a recente saída do baterista – e um dos fundadores – Joey Jordison. Fora a desconfiança que eles receberam dos fãs, temendo que a banda soasse mais pop como o Stone Sour (projeto paralelo do vocalista Corey Taylor). Este novo álbum é uma raivosa resposta para todos que duvidavam da continuidade deles, praticamente um desabafo dos sentimentos que estavam guardados durante estes anos. Carregado de agressividade, a banda emenda uma pauleira atrás da outra, tendo alguns momentos de calmaria como em Goodbye. O primeiro single The Devil In I já entra definitivamente entre os melhores “hits” da banda, e quem achava que o novo baterista não daria conta, AOV mostra o contrário e Skeptic é o tipo de música que dá gosto em gritar motherfuck, palavra preferida de Taylor. Perto do fim, ainda temos as cerejas do bolo com Custer (umas das melhores) e The Negative One que, mesmo achando que deveria ser a primeira música, fecha este ótimo trabalho com chave de osso. Agora os fãs podem balançar suas cabeças mais sossegados. Tracklist: 01. XIX
02. Sarcastrophe
03. AOV
04. The Devil In I
05. Killpop
06. Skeptic
07. Lech
08. Goodbye
09. Nomadic
10. The One That Kills The Least
11. Custer
12. Be Prepared For Hell
13. The Negative One Nota: Ótimo      kings_queens_cover Sucesso dos anos 1980 – muita gente deve se lembrar do hit Dancing With MyselfBilly Idol lança neste ano seu novo álbum: Kings & Queens Of The Underground. O interessante que ao ouvi-lo, a sensação de nostalgia é imediata, pois as músicas tem uma pegada muito parecida com o seu começo de carreira. Contudo, a maturidade do novo álbum nos faz esquecer essa sensação, tornando-se o grande retorno do artista ao cenário musical. Idol investe num british pop de qualidade e viciante como pode ser ouvido no ótimo single Can’t Break Me Down, e em alguns momentos, principalmente na música Save Me Now, lembra bastante o som do U2 (leia a crítica de Songs Of Innocence).    Se não bastasse a voz marcante do vocalista, o álbum contém ótimas composições tanto musicalmente (palmas para o produtor Trevor Horn) quanto nas letras, criando belas pérolas como  Postcards From The Past (super oitentista com o seu sintetizador) e a acústica faixa-título. Enfim, sempre é bom quando velhos ídolos ainda representam apesar dos anos.    Tracklist: 01. Bitter Pill
02. Can’t Break Me Down
03. Save Me Now
04. One Breath Away
05. Postcards From The Past
06. Kings & Queens Of The Underground
07. Eyes Wide Shut
08. Ghosts In My Guitar
09. Nothing To Fear
10. Love And Glory
11. Whiskey And Pills Nota: Ótimo