V Estava curioso sobre o futuro da banda Maroon 5, pois após o sucesso do ótimo Hands All Over (um dos melhores álbuns pop que já ouvi), principalmente pela música Moves Like Jagger, a banda quis seguir um caminho que lhe rendesse mais dinheiro do que qualidade musical. Assim, eles substituíram o som genuíno de uma banda para o auto-tune e sons eletrônicos no fraco Overexposed. Neste novo álbum, intitulado simplesmente de V, a banda procura repetir a fórmula de seu grande sucesso com a sonoridade do antecessor. Sim, este trabalho se mostra superior ao último, mesmo assim não está a altura do que a banda já mostrou nos primeiros álbuns. Há músicas dançantes e viciantes como Maps, Sugar e In Your Pocket, outras com uma pegada típica de rap – mas sem um rapper – como em Animals. As baladas estão genéricas, sem emoção, destacando-se apenas músicas como It Was Always You e Unkiss Me. Por falar em algo genérico, há faixas no próprio CD que tentam repetir a fórmula da outra, enfraquecendo o trabalho. Mesmo com os tropeços, V sai com saldo positivo e deve atingir o seu sucesso. Só uma pena que Maroon 5 está soando cada vez mais como um trabalho solo de Adam Levine do que como uma banda. Tracklist: 01. Maps
02. Animals
03. It Was Always You
04. Unkiss Me
05. Sugar
06. Leaving California
07. In Your Pocket
08. New Love
09. Coming Back For You
10. Feelings
11. My Heart Is Open (feat. Gwen Stefani)
12. Shoot Love
13. Sex and Candy
14. Lost Stars Nota: Bom MV SIXX: A.M. é uma das bandas de “reunião” de outros músicos que mais gosto. Para quem ainda não conhece (recomendo demais ouvir os dois primeiros álbuns, principalmente This Is Gonna Hurt) os integrantes são Nikki Sixx, baixista e fundador do Mötley Crüe, o guitarrista DJ Ashba (Guns N’ Roses) e o vocalista James Michael (que além de músico, é produtor). Modern Vintage é o trabalho mais maduro da banda, em que você percebe que os músicos estão mais entrosados e sem se preocuparem se vão soar roqueiros ou não. Contudo, ainda continuam com a capacidade de criar memoráveis canções como Stars e Gotta Get It Right (com uma pegada pop que me fez lembrar a recente fase da banda Bon Jovi, mas com peso no som), fora outras ótimas músicas como Relief e o blues Before It’s Over (a versão no piano entrega outra dimensão a música). As músicas citadas são apenas um aperitivo de outras surpresas que você certamente vai encontrar ao ouvi-lo. Fico feliz que esta banda tenha surgido para ficar. O rock agradece. Tracklist: 01. Stars
02. Gotta Get It Right
03. Relief
04. Get Ya Some
05. Let’s Go
06. Drive
07. Give Me A Love
08. Hyperventilate
09. High On The Music
10. Miracle
11. Before It’s Over
12. Before It’s Over (Piano Ballad)
13. Stars (Cinematic)
14. Gotta Get It Right (Acoustic)
15. Let It Haunt You (So Beautiful) Nota: Foda BR Big & Rich é minha dupla favorita do country norte-americano. Infelizmente sempre descubro um novo projeto quase na surpresa, pois não há muita divulgação na internet sobre eles. O último trabalho, Hillbilly Jedi, pode-se dizer que foi OK, mas este recente álbum traz uma certa decepção. Nada contra que tenham investido em um CD praticamente romântico, porém, Gravity, não traz nenhuma grande balada que a dupla já mostrou saber fazer. Interessante que o começo se mostra promissor com Look At You, Lovin’ Lately e a faixa-título, infelizmente paramos por aí, pois o resto se mostra desinteressante com várias baladas genéricas, tentando algum tipo de sucesso com os corações apaixonados. E quando temos a primeiro música, I Came To Git Down, com uma pegada rock and roll, algo que a dupla sempre foi mestre em fazer, vem a frustração de ser a última música. Agora é só esperar para que o próximo álbum compense este. Tracklist: 01. Look At You
02. Lovin’ Lately (feat. Tim McGraw)
03. Gravity
04. Brand New Buzz
05. Rollin’ Along
06. Run Away With You
07. Lose A Little Sleep
08. Don’t Wake Me Up
09. That Kind Of Town
10. Thank God For Pain
11. I Came To Git Down Nota: Regular