Lego Uma das animações mais rentáveis de 2014, Uma Aventura Lego define o domínio da franquia LEGO no cinema. Emmet (Chris Pratt) é um lego comum que por causa de uma profecia precisa salvar o universo Lego e se tornar o herói que todos acham que ele é. O filme é eficiente em trazer todo o humor paródico da empresa, que pode ser visto bastante nos games. E como a franquia tem vários direitos autorais, sobra piadas da cultura pop envolvendo personagens como Batman e outros ícones da DC Comics, além de outras séries como Star Wars, O Senhor dos Anéis e Harry Potter. Uma pena que os envolvidos não confiem na inteligência das crianças (e dos adultos) e precisam repetir a mensagem do filme diversas vezes de uma maneira bem forçada. Tirando este deslize, a animação diverte, e muito, qualquer tipo de público. E cuidado com a música ultra viciante Everything Is Awesome presente na trilha sonora que será construída no seu cérebro.  Nota: Ótimo Joe Depois de começar com o pé direito em Segurando as Pontas, o diretor David Gordon Green deu uma escorregada no projeto seguinte: Sua Alteza. Felizmente, nada que afetasse o que estaria por vir, e o seu recente filme só prova o talento promissor que havia mostrado. Joe é sobre um homem (Nicolas Cage) autodestrutivo que tenta ficar longe de problemas e, assim, evitar de machucar as pessoas. Sua vida começa a mudar quando conhece o garoto Gary (o talentoso ator Tye Sheridan de Árvore da Vida), e os dois acabam completando a relação de pai e filho que nunca tiveram em suas vidas. Cage mostra que quando bem dirigido e comprometido dá um verdadeiro show, e junto com ele, o estreante Gary Poulter, o pai bêbado de Gary, são o grande destaque do filme com atuações impecáveis. Infelizmente o ator Poulter, um morador de rua na vida real (não é a toa que encaixou perfeitamente no papel, unindo experiências próprias com a atuação), morreu meses depois da estreia. Nota: Ótimo Escalas Após o frenético Busca Implacável, Liam Nesson se transformou em um verdadeiro bad guy, seguindo o melhor estilo dos filmes de ação oitentista, mas com uma roupagem Bourne. Sem Escalas consegue trabalhar com vários clichês do gênero de uma maneira bem orgânica, sem parecer absurdo demais. Em uma história tensa, Nesson vive um agente federal que precisa descobrir qual passageiro é o terrorista que ameaça matar uma pessoa a cada 20 minutos em pleno voo. Unindo os estilos “contra o tempo” e “redenção ao personagem com passado trágico”, o filme oferece bons momentos de ver o ator esmurrando vilões, enquanto faz você ficar sem piscar os olhos até desvendar o mistério. Nota: Bom Vidas Vidas ao Vento é muito mais que o último filme do genial Hayao Miyazaki. É uma história sobre o amor. O amor que o projetista de aviões Jiro Horikoshi teve pela aviação e pela mulher de sua vida. O filme retrata, com a sempre veia poética de Miyazaki, a história de Horikoshi que, mesmo tendo sua criação usada para fins trágicos na 2ª Guerra Mundial (como outros vários artistas), quis apenas entregar o melhor avião para o seu país. O modelo de avião Mitsubishi A6M Zero, sua obra prima, é o modelo que foi usado no ataque kamizake a Pearl Harbor nos EUA.  Nesta animação belíssima, rica em seu detalhes, Miyazaki nos leva como passageiros numa viagem de sonhos que é forte o bastante para nos fazer sonhar em voar mais alto em nossos objetivos, para sempre estarmos fazendo o que a gente ama. Nota: Foda Only Amantes Eternos é um filme feito para ser apreciado como seus personagens apreciam toda a arte em sua volta. Propositalmente narrado em um ritmo lento, já que o casal principal não tem muita pressa para viver, pois como vampiros, o tempo é apenas um detalhe. O diretor Jim Jarmusch faz uma declaração de amor a arte e aproveita para criticar a supervalorização do superficial, em tempos cada vez mais modernos, porém vazios de cultura.  Tilda Swinton e Tom Hiddleston (interessante vê-lo sem ficar sorrindo o tempo todo como o Loki tanto em Thor quanto em Os Vingadores) incorporam perfeitamente seus personagens, que mostram toda a dedicação e comprometimento que um relacionamento deve ter, até quando a irmã caçula de Tilda, interpretada pela linda Mia Wasikowska, é uma cruz que nenhum vampiro merece ter em sua vida, ou melhor, morte. Nota: Ótimo Quem acompanha a página do Pisovelho no Facebook, já deve saber que sou colaborador do site Cinema Com Rapadura. Para aproveitar as críticas que foram publicadas no CCR, estarei colocando o link delas na coluna Locadora. Confira os últimos textos abaixo: O Passado Uma Viagem Extraordinária O Grande Mestre Sangue Ruim Educação Sentimental Gloria