Ghost Coldplay, em seus últimos álbuns, apresentou músicas com forte apelo pop, lançando  singles que são apostas certas em qualquer festa, vide Mylo Xyloto. Tirando o pé do acelerador (e olha que a banda britânica nem acelera muito), Ghost Stories traz um som mais minimalista, acústico, cheio de baladas, e não muito recomendado para animar a galera, mas ótimo para relaxar. Tem álbuns que não apenas ouvimos, degustamos. O recente trabalho da banda pode parecer chato e lento na primeira audição, contudo, quando se deixa levar em músicas como Magic e Ink, se percebe a beleza única do CD. Com nove canções que, mesmo tendo algumas que não empolgam muito, contagiam com sua leveza, exceto A Sky Full Of Stars (a dance do disco), e grudam na cabeça após a audição, ou se preferir, a degustação. Tracklist: 01. Always In My Head
02. Magic
03. Ink
04. True Love
05. Midnight
06. Another’s Arms
07. Oceans
08. A Sky Full Of Stars
09. O Nota: Ótimo

Michael Quando escrevi sobre o primeiro álbum póstumo do rei do pop, Michael, previ que sairiam outros (o que era algo óbvio de se prever), e quatro anos depois, é produzido Xscape, novo álbum de Michael Jackson que, graças a ganância dos envolvidos, não descansará em paz. Com o produtor Timbaland (referência do R&B, hip-hop e pop norte-americano) supervisionando o projeto, não é surpresa nenhuma que o álbum tenha mais a marca do produtor do que o próprio artista, sem falar que as faixas ainda tiveram nas mãos de vários outros produtores. Comercialmente, é claro que o trabalho é eficiente, músicas como Love Never Felt So Good, Chicago e A Place With No Name são belas surpresas e resgatam um sentimento nostálgico da sua carreira, porém ainda encontramos alguns exageros eletrônicos em Do You Know Where Your Children Are e Blue Gangsta. Musicalmente, é difícil não pensar como Michael teria trabalhado nas músicas se ele fosse regrava-las atualmente (ouvindo a versão deluxe com as demos, verá como algumas faixas mudaram muito para ficarem mais parecidas com o que é lançado hoje em dia). Uma coisa é certa, como um artista perfeccionista e dedicado, dificilmente deixaria exclusivamente nas mãos de outros. Tracklist: 01. Love Never Felt So Good
02. Chicago
03. Loving You
04. A Place With No Name
05. Slave To The Rhythm
06. Do You Know Where Your Children Are
07. Blue Gangsta
08. Xscape Nota: Bom

Keys Após o sucesso de Brothers, a banda The Black Keys ganhou projeção mundial, e apenas confirmou o sucesso com El Camino. Agora em 2014, lançam seu 8º disco de inéditas: Turn Blue. Confesso que não me interessava muito pela carreira da dupla, Dan Auerbach (vocal, guitarra) e Patrick Carney (bateria), porém é complicado ignorar tanto talento. Weight Of Love, música de abertura, mostra que eles não estão de brincadeira, e com um belíssimo solo, aquecem o ouvinte que ainda terá mais 10 faixas do melhor blues/rock alternativo, e com uma forte presença do psicodélico. E entre elas, destaco as viciantes In Time, Fever (já pode ser considerada um hino da dupla), Bullet In The Brain e a empolgante, puro rock clássico, Gotta Get Away que encerra mais um ótimo trabalho da banda. Tracklist: 01. Weight Of Love
02. In Time
03. Turn Blue
04. Fever
05. Year In Review
06. Bullet In The Brain
07. It’s Up To You Now
08. Waiting On Words
09. 10 Lovers
10. In Our Prime
11. Gotta Get Away Nota: Ótimo