Titas Vários aspectos que aconteceram deste o último álbum de inéditas, definem o surgimento do recente trabalho da banda Titãs. Alguns deles são: a onda de protestos que o país vive, a turnê que reviveram o lendário álbum Cabeça Dinossauro e a necessidade de provar que poderia  novamente ser influente no cenário do rock brasileiro, pois com a saída do baterista Charles Gavin, agora só restaram quatro integrantes. Em volta disso, nasceu Nheengatu, um álbum de 14 faixas que traz o velho Titãs que os fãs amam. Titas4Deste 2001, a banda apostou em seus trabalhos, em um som mais leve, recheado de baladas, e mesmo escrevendo algumas músicas com um teor crítico, era nítida a presença do pop em uma tentativa de não cair no ostracismo, chegando ao seu limite em Sacos Plásticos. Felizmente a banda cansou desta estrada, e resolveu olhar para o seu passado quando lançava álbuns como Cabeça Dinossauro e Titanomaquia, tocando músicas agressivas contra tudo e todos. Nada melhor para este retorno do que chamar o produtor Rafael Ramos, que já mostrava talento  deste criança quando descobriu o Mamonas Assassinas para o seu pai e, como produtor, tem no currículo ótimos trabalhos com Pitty, Capital Inicial (no melhor trabalho do Capital no séc. 21 com Aborto Elétrico), Ultraje A Rigor e Matanza. Os sobreviventes Paulo Miklos (vocal, guitarra), Branco Mello (vocal, baixo), Sérgio Britto (vocal, teclado, baixo nas músicas que Mello canta) e Tony Belloto (guitarra), investem em um som pesado, deste a primeira até a última música, e com composições críticas, dizem muito com poucas palavras. Palavras que o Brasil precisa ouvir.  Titas3Abrindo o CD, Fardado chega chutando a porta como uma excelente continuação de Polícia. Nesta faixa, é desfeito qualquer medo de que o novo baterista Mario Fabre não fizesse um ótimo trabalho, mostrando que é digno da vaga deixada por Gavin. Outra música que Fabre se destaca é Não Pode, em que tem um breve solo. Mensageiro da Desgraça surpreende por um riff de guitarra ao melhor estilo Black Sabbath (13) e traz um belíssimo refrão que diz: “Cansei da fome, do crack/Da miséria e da cachaça/Cansei de ser humilhado/Sou o mensageiro da desgraça”. Refrães fortes e viciantes é que não faltam em Nheengatu. Sem deixar o ritmo cair, República dos Bananas, que conta com a participação do cartunista Angeli na composição, revela várias figurinhas marcadas de nossa sociedade. Uma de minhas favoritas, Fala, Renata é um hino para todos àqueles que não aguentam os fofoqueiros, pessoas que não tem nada a dizer, mas não aguentam ficar quietas. Arnaldo Antunes dá o ar da graça na composição de Cadáver Sobre Cadáver, uma música que através de um ritmo constante põe em reflexão como a morte chega para todos, principalmente em um mundo aonde não vivemos, apenas sobrevivemos. Titas2Canalha, cover de Walter Franco com uma pegada grunge, é a única não inédita, mas se for pensar em novidade, a maioria das faixas não são, já que a banda tocava a maioria nos últimos dois anos nos shows. Pedofilia retorna com a pauleira que havia sossegada na antecessora. O título diz tudo, e como se fosse um sussurro que explode em um desabafo, mostra o relato de uma vítima. Aproveito para elogiar Britto, que é vocal em seis músicas, por um dos seus melhores trabalhos no microfone, já que, desta vez, o teclado serve apenas como base para as músicas em que as guitarras e bateria dominam. Chegada ao Brasil (Terra à Vista) é uma ótima sátira com a chegada dos portugueses a nossa terrinha, aonde toda essa bagunça começou. Flores Pra Ela está longe de ser a balada do álbum (este trabalho não há espaço para elas), com um riff dançante, mostra a relação do marido agressivo que mantem a esposa a base da porrada e depois diz que a ama. Outro riff que se destaca, graças ao inspirado trabalho de Belloto, se encontra em Baião de Dois, que é o maior exemplo da forte presença dos palavrões em um álbum do Titãs depois de muito tempo. Como é bom ouvir Miklos xingar.  Titas5Eu Me Sinto Bem e Senhor completam bem o álbum, e sabe quando dizem que o melhor fica para o final, mesmo sendo uma missão complicada escolher uma só? Quem são os Animais? está entre elas. Uma música que encerra o teor crítico do novo álbum, em que eles falam sobre os vários tipos de preconceito que ainda insistem em existir no mundo: “Te chamam de viado/De sujo de incapaz/Te chamam de macaco/Quem são os animais?”. A banda Titãs prova que está mais viva do que nunca, com um som pesado, agressivo, objetivo (músicas curtas) e que, diferente da Renata, diz alguma coisa. Nheengatu – que significa Língua Geral – manda uma mensagem para o povo brasileiro que, como a Torre de Babel que ilustra a capa, está perdido em suas próprias diferenças e esquecem que só unidos poderão construir um novo país. Tracklist: 01. Fardado
02. Mensageiro da Desgraça
03. República dos Bananas
04. Fala, Renata
05. Cadáver Sobre cadáver
06. Canalha
07. Pedofilia
08. Chegada ao Brasil (Terra à Vista)
09. Eu Me Sinto Bem
10. Flores pra Ela
11. Não Pode
12. Senhor
13. Baião de Dois
14. Quem são os Animais? Foda photo Foda.png