Pes Quando baixei a demo de Pro Evolution Soccer 2014, estava com bastante receio de que o jogo fosse um verdadeiro fiasco, pois as críticas não eram nada positivas, praticamente apocalípticas. Na primeira impressão, compartilhei deste sentimento e o difamei aos quatros ventos tamanha era a minha decepção. Mas porque tanta raiva? É que a Konami reiniciou a franquia, começando toda a jogabilidade do zero. Uma tentativa de se aproximar da excelente simulação de futebol do FIFA. Entretanto, nem tudo está perdido. Sempre gostei do modo descompromissado do PES, com o foco na diversão, dando a oportunidade para qualquer um pegar o controle e ser competitivo. Nesta nova versão, demorei um pouco para aceitar a mudança e, depois de ver com outros olhos, percebi que essa decisão não foi tão errada assim. Pes1Uma junção de arcade com simulador, PES 2014 é um divisor de águas da série, um rascunho da ideia que ainda será desenvolvida nos próximos jogos. A mecânica dos jogadores está fluente, com mais mobilidade, possibilitando uma variedade de jogadas que deve agradar o gamer criativo, o craque do sofá. É claro que com isso, o tempo para aprender todos os macetes não é mais como antes, agora precisa de muito treinamento para não passar vergonha na frente dos amigos, algo que irá irritar (e irritou) os preguiçosos. Porém, algumas coisas parecem que estão difíceis de mudar, como a ineficiência dos goleiros (mesmo eles ganhando um ligeiro reflexo) e a  possibilidade de sair driblando vários adversários com um jogador. Acho que sem isso, PES não será PES.  A inteligência artificial é o grande ganho do game. Dependendo da sua estratégia, os jogadores estão se apresentando mais, resultando muitas tabelas e incentivando o gamer a tocar a bola com frequência, como realmente é um jogo de futebol. A defesa é difícil de ser ultrapassada (sempre variando a marcação conforme você ataca), entre outros detalhes que só aumentam a experiência da jogatina. Nem preciso escrever que para uma noção de tudo isso, não é jogando no modo iniciante que você vai ter. Pes3Os times brasileiros (da série A de 2013) marcam presença, além de outros sul-americanos. O problema de ter tanto time novo desconhecido dos programadores, é que a maioria dos jogadores são genéricos, parecendo que saíram da mesma fábrica de molde. Isso lembra outro contra do PES, a falta de licenciamento de equipes e jogadores clássicos, ainda bem que isso pode ser mudado com alguns patches. Antes de encerrar este parágrafo, quero deixar meu luto pelos menus demorados que são um pesadelo a parte, acabando com a paciência com tantos travamentos curtos.       Repetindo a versão anterior, o jogo traz a Libertadores e a Liga dos Campeões.Também quero destacar a torcida que ganhou vida, pelo menos as principais. Apoiando o time com cânticos, vibrando com cada jogada, e incentivando os jogadores a melhorar seu desempenho dentro de campo, algo que a nova função heat faz. Quanto mais o jogador for bem na partida, mais chances dele arrebentar com o jogo.  A Master Liga (minha preferida), desta vez te entrega a possibilidade de treinar uma seleção e, futuramente, poder trocar de time. Nunca foi tão gratificante jogar este modo. Pes4Pro Evolution Soccer 2014 assustou muita gente com sua drástica mudança e, mesmo não agradando todos, é um embrião que irá crescer com o tempo  e ser compreendido na próxima geração de consoles. A Konami ainda não abandona o seu legado, e mostra que não tem medo de se arriscar. Então, o que nos resta é tocar a bola para frente e ver qual será o resultado final desta partida. Trailer:        Bom photo Bom.png