Moon Faz três anos que publiquei a resenha do álbum Some Kind Of Trouble, do artista James Blunt. Depois deste tempo, escrevo sobre o novo trabalho do britânico, mostrando a longevidade do site que pretendo prolongar por muitos anos, sempre com a intenção de orientar os leitores sobre os principais lançamentos (ou não) do entretenimento. Após um CD que o músico apostou num som mais diversificado, flertando bastante com o surf music e o britpop, James retorna as suas origens com Moon Landing, apresentando suas composições românticas através de harmonias melancólicas, quase em seu total, construídas pelo inconfundível piano. Moon2Quando ouvi pela primeira vez, lembrei imediatamente do início da carreira com Back To Bedlam. Não foi mera coincidência esta lembrança, pois o produtor do primeiro álbum, Tom Rothrock, repete a parceria, junto com outros produtores. Moon Landing segue o apelo pop do músico, porém não ouvi nenhuma música que possa ser um enorme sucesso como foi You’re Beautiful e Same Mistake, contudo, tem suas próprias pérolas. Face The Sun abre o álbum com um belo arranjo de piano, destacando a suave voz de Blunt. Com certeza é a principal balada entre as 11 faixas. Num ritmo interessante, Satellites é uma boa escolha para single, junto com a contagiante Bonfire Heart (minha preferida), é o típico de música que faz você cantar até quando não é tocada, além de contar com uma das melhores frases de James: “Todos querem uma chama, mas não querem se queimar”. Já vale o projeto todo. Moon3Entre um dançante riff de baixo e palmas, Heart To Heart continua o ritmo agitado de sua antecessora, preparando terreno para a balada Miss America. The Only One, minha segunda preferida, traz um James arrependido por ter deixado seu grande amor escapar da sua vida. Quem procura pelo som do britânico, é porque gosta de músicas românticas de qualidade, então não reclame se encontrar muita melancolia, ele consegue expor os sentimentos em cada acorde tocado, como fica claro na voz e piano de Sun On Sunday. Interessante notar é o equilíbrio entre as canções, dificilmente o álbum parecerá parado demais. Não que tenha hits para tocar numa boate como Bruno Mars, mas depois de uma música lenta, vem uma dançante como Bones que, apesar de curta, traz uma boa letra: “Eu nunca fui um garoto bonito/Nunca gostei do som da minha própria voz/Eu não era descolado quando eu estava na minha adolescência/Eu nunca dormi, mas eu tinha sonhos”.  Moon4 Always Hate Me é conduzida por um baixo bem destacado, enquanto você é levado numa daquelas canções que consegue atingir na alma. Mantendo o equilíbrio já comentado, Postcards retorna com o surf music de Stay The Night, agora um pouco mais controlado, é ótima para quem tem o seu amor tão distante e está com saudades. Encerrando o trabalho, a balada Blue On Blue não compromete e consegue ter sua beleza particular. Moon Landing traz um James Blunt que investe menos nas cordas da guitarra e do violão, entregando mais de sua voz calma e o talento no piano. Mesmo não tendo grandes hits românticos, que tocaram até a exaustão em várias novelas, não tira o mérito deste trabalho. Só não recomendo para quem está na fossa, mas se quiser ouvir contra-indicação, quem sabe irá te ajudar a compreender melhor este sentimento chamado amor. Tracklist: 01. Face The Sun
02. Satellites
03. Bonfire Heart
04. Heart To Heart
05. Miss America
06. The Only One
07. Sun On Sunday
08. Bones
09. Always Hate Me
10. Postcards
11. Blue On Blue Otimo photo Otimo.png