Trekker Em 2009, J.J. Abrams (Super 8) e seus habituais colaboradores, renovaram a franquia de Jornada das Estrelas trazendo uma nova abordagem. Com a ideia de realidade alternativa, criaram uma infinita gama de caminhos para seguir, mas sem desrespeitar o cânone. E se com o primeiro filme virei um fã, a continuação me deixou mais ansioso para saber como Abrams sairá em outra famosa franquia de ficção científica: Star Wars. Além da Escuridão – Star Trek, foi escrito pelas mãos de  Roberto Orci, Alex Kurtzman e Damon Lindelof (Lost), e desta vez com os personagens já definidos, o roteiro está focado mais na ação do que no desenvolvimento pessoal de cada um. Outra mudança acontece bem gradualmente com Kirk (Chris Pine), começando como grande destaque do filme para depois passar o comando ao Spock (Zachary Quinto). Assim desenvolvendo os dois lados do Vulcano através de sua relação com o amigo e sua amada Uhura (Zoe Saldana). TrekPara revelar um Spock mais humano, a história traz um vilão tão fascinante que eu não sabia para quem torcer durante vários momentos. O John Harrison de Benedict Cumberbatch tem presença nas cenas, roubando a maioria delas quando aparece. Mostra uma atuação segura e ameaçadora tanto na postura quanto em sua voz (mais uma prova para conferir o filme sem dublagem), não é a toa que foi escolhido para ser o dragão Smaug na série O Hobbit. Outro fator que ajuda na diminuição do lado científico da série, é a história ter uma linha de denúncia, flertando com uma critica política. Harrison é o famoso terrorista que os governos adotam para atacar outras civilizações sem dar muitas justificativas para suas ações, apostando que os soldados sigam cegamente as ordens. Deste modo, Kirk e Spock, viajando na clássica Enterprise, entram em território inimigo para descobrir que o verdadeiro inimigo não estava tão longe como pensavam. Trek3Se Cumberbatch foi uma excelente adição ao elenco, não pode se dizer a mesma coisa da personagem de  Alice Eve, que poderia ter ficado fora da história sem nenhum problema. Sua inclusão fica óbvia quando aparece seminua, agradando o público masculino. O roteiro ainda, na vontade de contar uma trama densa, acaba tropeçando em vários pontos: na covardia em não levar um fato importante até o final, prejudicando o desfecho emocional; soluções preguiçosas para não sair do ritmo frenético (fiquei espantado quando os celulares e os teletransportes pegam com distâncias enormes); e algumas cenas Deus ex machina, salvando os personagens sem muita explicação.    Trek1Felizmente essas falhas ficam em segundo plano quando o assunto é diversão, e este Star Trek é um dos melhores filmes de 2013 neste quesito. Agora é aproveitar esta empolgante aventura embalada pela música de Michael Giachino, para futuramente poder se emocionar através das notas clássicas de John Williams. Vida longa e próspera para J.J. Abrams. Trailer: Into the Darkness
EUA , 2013 – 2013
Ação / Aventura / Ficção científica Direção:
J.J. Abrams Roteiro:
Roberto Orci, Alex Kurtzman, Damon Lindelof Elenco:
Chris Pine, Zachary Quinto, Zoe Saldana, Karl Urban, Simon Pegg, John Cho, Benedict Cumberbatch, Anton Yelchin, Bruce Greenwood Otimo photo Otimo.png