Aço Qual seria sua reação se descobrisse que realmente (sem teorias) não estamos sozinhos no Universo? Teria medo do desconhecido? Iria compreender este indivíduo ou já estaria pronto para o ataque? Interessante que há povos intolerantes com os outros aqui mesmo na Terra, imagina em relação com um alienígena? São essas questões discutidas no recente filme de Superman, que traz uma proposta diferente para o herói. Antes de se tornar um salvador dos fracos e oprimidos, O Homem de Aço era apenas um kryptoniano tentando encontrar seu espaço em nosso planeta.  Escrito por David S. Goyer, através de uma ideia conjunta com Christopher Nolan, fica evidente a influência da trilogia Batman. Nolan fez um Batman focado em seu lado detetive, ambientando o morcego na realidade. Agora com o personagem mais poderoso da DC Comics, decidiram entrar de cabeça na ficção científica e não fazer apenas um filme de herói, mas de um alienígena deslocado em nossa sociedade.   Aço2O realismo deste filme está presente no que seria possível na base científica de Krypton e da adaptação de Kal-El (Henry Cavill) na Terra. Contudo, principalmente no terceiro ato, a fantasia pede licença para destruir tudo que vier pela frente. Sobre isso, comentarei depois. Primeiro, voltarei ao primeiro ato. A belíssima introdução, com um design marcante, mostra a beleza e a decadência de Krypton diante o iminente fim do planeta. E numa sequência frenética de acontecimentos, temos o golpe militar de Zod (Michael Shannon) e o sacrifício dos pais de Kal-El para garantir a fuga de seu filho. Aliás, Russell Crowe como Jor-El, consegue ser analítico e comovente num perfeito equilíbrio. Sobre Cavill e Shannon, o primeiro desenvolve seu próprio Superman não deixando margens para comparações, enquanto o segundo se entrega no propósito do vilão, nos fazendo compreender todas suas motivações para seus atos, sempre no pensamento que os fins justificam os meios.  Aço4A escolha de Zack Snyder (Watchmen) para a direção, se mostrou super acertada. Pessoalmente, estava tranquilo na questão de ter excelentes cenas de ação e enquadramentos memoráveis, entretanto, o que me surpreendeu, foi deixar um pouco suas características (neste caso, o excesso de câmera lenta vide 300) e apostar em estilos conhecidos nas mãos de outros grandes realizadores como os ângulos de câmera de Terrence Malick (A Árvore da Vida) e a câmera na mão de J.J. Abrams (Super 8). Devo confessar que mesmo com essas influências, fiquei feliz em ver as cenas que ele usa de sua característica principal para engradecer o protagonista. Épico demais. Aço3A criação de Kal-El na Terra, conhecido agora como Clark Kent, é mostrado entre sua fase adulta aos 33 anos (uma das várias referências aos Cristianismo) e flash backs que lembram os momentos com seus pais adotivos Martha (Diane Lane) e Jonathan Kent (Kevin Costner), quando ensinaram os valores que iriam moldar a sua futura decisão. Nessa linha narrativa não-linear, o filme nunca fica monótono e ainda emociona em diversas cenas. Ainda mais, com a inspirada trilha sonora de Hans Zimmer, conseguindo criar uma nova atmosfera através de músicas de outro mundo. A vida de Clark começa a mudar com o descobrimento de seu passado, o início de um romance com Lois Lane (Amy Adams) e a chegada de um Zod decidido a reconstruir Krypton sobre os ossos dos seres humanos. Assim, entramos num terceiro ato que deixaria com inveja os robôs de Transformers e os heróis de Os Vingadores. Aço5Superman e o grupo de Zod conseguiram destruir quase uma cidade inteira e consequentemente matar milhares de pessoas, mesmo que isso passe despercebido como sempre.  É compreensível a destruição que resultou na luta, pois estamos falando de Deuses duelando. De um lado tem Zod, um general treinado para a guerra, e do outro Kal-El, iniciante em combate. Então, nada mais do que normal que ele brigue como se fosse  um cachorro louco, sem muita estratégia e variação de golpes. A porradaria, ausente em outras adaptações,  chegou para satisfazer essa vontade de ver uma briga de verdade do Superman. Nem tudo são flores, essa responsabilidade de entregar um final grandioso, prejudicou um pouco o filme por fazer uma batalha extensa demais. Fora o fato de que Lois Lane está praticamente em todo lugar e se coloca em perigo sem nenhuma necessidade. E se alguém precisar encontrar uma pessoa desaparecida, ela irá precisar de poucos dias para achar. E o FBI continua perdendo tempo com satélites. Francamente. Aço1O Homem de Aço é eficiente em contar a origem do herói e preparar terreno para uma continuação que já terá a presença do Batman. Consequentemente, abriu portas para um filme da Liga da Justiça. A energia necessária que Superman precisava para voltar a ser relevante no Cinema.  Trailer: O Homem de Aço EUA , 2013 – 143 min.
Ação / Ficção científica Direção:
Zack Snyder Roteiro:
Christopher Nolan, David S. Goyer Elenco:
Henry Cavill, Diane Lane, Amy Adams, Michael Shannon, Kevin Costner, Ayelet Zurer, Russell Crowe, Harry Lennix, Lawrence Fishburne, Christopher Meloni, Antje Traue, Richard Schiff Otimo photo Otimo.png