WAN Em 2009, a banda Bon Jovi fechou um ciclo iniciado em 2000, em que apostaram num som mais comercial, mesmo ainda tendo a presença de seu habitual rock de arena. O álbum em questão foi o ótimo The Circle, mostrando uma sonoridade contemporânea com letras maduras, abordando os tempos difíceis que os norte-americanos passavam com a crise financeira. E agora, após 4 anos, parece que nada mudou, pois o grupo de New Jersey continua querendo ser a voz da esperança dos desesperados. A diferença é que em What About Now, o rock and roll fica em segundo plano, contendo músicas com um apelo mais pop deste Have A Nice Day.

WAN3Essa mudança já pode ser conferida nos dois singles, Because We Can e a faixa-título, totalmente radiofônicas que trazem composições otimistas, porém devem fazer um sucesso passageiro.  O tecladista David Bryan é o principal destaque, suas melodias estão presentes em quase todas as 12 canções. As baladas Thick As Thieves e Room At The End Of The World são exemplos do seu belo trabalho. A primeira é uma grande power ballad que, aliás, junto com a espiritual Amen, mostra um Jon Bon Jovi esbanjando sua técnica vocal sem arriscar muito nos agudos. A segunda poderia estar em algum álbum do U2. WAM2O que mais incomoda neste 12º álbum, é a produção medíocre de John Shanks (Van Halen) e, principalmente, o desaparecimento do guitarrista Richie Sambora. Seu talento é inegável, por isso a decepção em vê-lo tão limitado. Um dos motivos deste ponto negativo, pode ser que Sambora ficou bastante ocupado com seu trabalho solo, enquanto o resto do grupo já estava em produção. O consolo está nas excelentes músicas como I’m With You e, principalmente, Army Of One, onde apresenta o maior equilíbrio da banda, com um coro no refrão, a guitarra e o teclado numa união bem distribuída e a bateria de Tico Torres remetendo o marchar dos soldados. WAM3Pictures Of You empolga com um som alá The Killers, ficando por sua responsabilidade conseguir tirar o refrão de sua cabeça. Incrível como essa banda cria hits grudentos. Beautiful World lembra bastante Matchbox Twenty, chegando a ser uma cópia. Depois de tantos anos, a banda poderia soar mais autêntica. A salvação dela é a melodia empolgante e uma letra bem elaborada. Se você é um fã das antigas, irá encontrar alegria em That’s What The Water Made Me. Uma das melhores músicas que a banda fez nos últimos anos, entregando aquela sensação de ter saído dos anos 80 de tão boa. What’s Left Of Me também traz uma certa nostalgia, uma mistura do lado pop country de Lost Highway com a crítica social de sua irmã distante, a clássica Someday I’ll Be Saturday Night. Encerrando o disco, The Fighter é uma canção acústica que traz uma bela parceria de vozes entre Richie e Jon. Simplesmente viajo em sua melodia. WAN4What About Now pode não ser o álbum dos sonhos de quem espera o velho e excelente rock and roll da banda. Com seus tropeços, é um trabalho que tem mais a cara de seu vocalista do que a banda em si. Uma certa acomodação em apostar no caminho mais seguro para o sucesso comercial, e esquecer dos fãs roqueiros que os ajudaram a crescer. E agora? Qual será o próximo passo deles? Tracklist: 01. Because We Can
02. I’m With You
03. What About Now
04. Pictures Of You
05. Amen
06. That’s What The Water Made Me
07. What’s Left Of Me
08. Army Of One
09. Thick As Thieves
10. Beautiful World
11. Room At The End Of The World
12. The Fighter Because We Can That’s What The Water Made Me Bom photo Bom.png