Regina Recentemente conheci Regina Spektor, e diferente do que muitos possam achar, não foi por sua música Fidelity, mas pela ainda mais bela Us. Um dos temas do excelente filme 500 Dias com Ela. Nem posso assistir os créditos inicias que já começo a me emocionar. Em seu novo trabalho,  What We Saw from the Cheap Seats, Spektor mostra que não há só Adele cantando sobre sua vida amorosa. Com uma voz inconfundível entre o meigo e a criativo, pois usa o vocal também como percussão, a cantora pergunta como poderá amar novamente na romântica How e faz uma ode ao seu piano em Firewood, tendo um solo digno de Chopin. Além de uma canção para as artes que ficam aprisionadas nos museus em All The Rowboats, a mais agitada das faixas e o primeiro single. Sou apaixonado pela música clássica e sempre é bom ouvir um CD de Regina Spektor. Onde piano e voz se tornam uma só melodia. E sentimentos são revelados em cada nota musical. Tracklist: 01. Small Town Moon
02. Oh Marcello
03. Don’t Leave Me (Ne Me Quitte Pas)
04. Firewood
05. Patron Saint
06. How
07. All The Rowboats
08. Ballad Of A Politician
09. Open
10. The Party
11. Jessica Nota: Foda Maroon Mudando totalmente de estilo, a banda Maroon 5, não tendo vergonha de aproveitar o sucesso da Moves Like Jagger, lança seu álbum mais pop. Overexposed é puramente comercial, não consigo enxergar aquela banda que aprendi a gostar por todo seu swing influenciado pelo soul e funk americano. Ouvindo as músicas, tenho a sensação que o Black Eyed Peas ou a Katy Perry vai entrar em algum momento, sem falar que os corais do Coldplay já estão ali. É um bom CD para tocar nas festas e irá fazer muito sucesso nas rádios, principalmente as contagiantes Payphone (com o rapper obrigatório em toda música pop) e a One More Night. Mesmo assim, nenhuma tem a força da Jagger. Depois do ótimo Hands All Over, a banda não precisava entregar toda sua qualidade nas mãos de produtores, ficando em segundo plano em seu próprio CD. Tracklist: 01. One More Night
02. Payphone (Feat. Wiz Khalifa)
03. Daylight
04. Lucky Strike
05. The Man Who Never Lied
06. Love Somebody
07. Lady Killer
08. Fortune Teller
09. Sad
10. Tickets
11. Doin’ Dirt
12. Beautiful Goodbye Nota: Regular Wall Não entendo como essa banda ainda não figura atualmente como uma das grandes no cenário rockeiro. Se eu não fosse um fã, talvez nem ouviria falar sobre ela. No início, Wig Wam era uma banda predominante do Glam Rock. O rock por diversão. Influenciada por bandas como Kiss, Bon Jovi e Motley Crüe. Em seguida, com o álbum Non Stop Rock’ N’ Roll, mostrou que também poderia amadurecer sem deixar sua principal característica de lado. Agora, com seu quarto CD de estúdio, Wall Street, os noruegueses ousam em seu hard rock usando sintetizadores dignos de disco music em One Million Enemies e flertando com o pop nas Wrong Can Feel So Right e Bleeding Daylight. Mudanças que só acrescentam na qualidade da banda, se já não bastasse o potente vocal de Glam e o ótimo trabalho do guitarrista Tenny nos riffs e solos. Não esquecendo do rock que definiu a banda nas OMG! (Wish I Had A Gun), The Bigger The Better e na faixa-título. Ainda verei Wig Wam sendo uma das principais atrações de um Rock In Rio levando o público a exaustação com seus clássicos. Sei que é utopia, mas eles merecem todo o sucesso. Tracklist: 01. Wall Street
02. OMG! (Wish I Had A Gun)
03. Victory Is Sweet
04. The Bigger The Better
05. Bleeding Daylight
06. Tides Will Turn
07. Wrong Can Feel So Right
08. One Million Enemies
09. Try My Body On
10. Natural High
11. Things Money Can’t Buy
12. School’s Out (Bonus Track) Nota: Ótimo