Terminando a trilogia do 21º post da coluna Locadora, alguns filmes que assisti recentemente e que podem ser opções para suas férias. Não esqueça de ver mais dicas em outras edições. Vencedor Um dos concorrentes ao Oscar de 2011, O Vencedor, dirigido por David O. Russell, rendeu a estatueta de Melhor Ator Coadjuvante à Christian Bale, o eterno Batman.  Ao ler a sinopse, imaginaria um filme motivacional que usa o esporte para mostrar às pessoas que tudo pode dar certo, o tipo que a academia adora premiar, mas irá se enganar quem pensa assim. O Vencedor, acima de tudo, é uma história sobre família. Focando nas atitudes egoístas que cada um tem dentro de si quando o assunto é financeiro. Interessante que apesar de subtemas pesadas como drogas e muitas brigas, Russell não joga seu filme num melodrama sem fim. Equilibrando num humor invejável, realiza certos momentos para uma lágrima cair do meu olho apesar do sorriso de admiração. Nota: Ótimo

Biutiful Alejandro Gonzalez-Inarritu já é um diretor que adora tragédias para seus personagens e constrói um arco para ver como se comportam diante tal desafio. Em Biutiful esta característica é elevada ao máximo, tudo que pode acontecer de ruim a uma pessoa, acontece com Uxbal (um show de atuação de Javier Bardem), um homem que pode falar com os mortos e tem facilidade em comandar seus negócios ilegais. Mas quando descobre que tem poucos meses de vida, Uxbal começa a preparar uma vida mais suportável para seus filhos, além de lidar com vários problemas que vão surgindo em seu caminho. Biutiful é uma prova de um amor que um pai pode ter para seus filhos. E no caso de Inarritu, ao contrário. Nota: Ótimo

Fast O sexto e sétimo filme estão sendo gravados em conjunto. Velozes e Furiosos ainda terá muitas histórias para contar quando o dinheiro ainda estiver entrando nos cofres dos envolvidos. Mas não há como negar que a franquia é no mínimo divertida. O quinto filme chamado em nossa terrinha de Operação Rio, renova a história abraçando o gênero de assalto. Justin Lin, responsável deste o terceiro, se preocupa mais com seus personagens do que a ação em si, deixando três grandes momentos para os carros detonarem. Se não é apaixonado pela franquia, Velozes e Furiosos é interessante para dar boas risadas de como eles retratam o nosso Rio de Janeiro. Nenhum filme de comédia consegue superar. Pois como Vin Diesel celebra: “Aqui é Brasil”. Nota: Regular

Alteza Saindo direto para locação, o recente trabalho de David Gordon Green (do ótimo Segurando as Pontas), se joga na Idade Média. Sua Alteza não pode ser levado a sério como um filme de aventura recheado de cavaleiros corajosos, donzelas virgens e bravas batalhas. É ao contrário, uma comédia que admite ser uma paródia do gênero deste a entonação nas vozes dos personagens até as situações constrangedoras que nunca seriam mostradas num filme mais “épico”. Mesmo assim, David não mantém o nível de seus trabalhos anteriores e suas piadas acabam sendo um mero Déjà vu de outras comédias. A diversão está garantida se você curtir uma desconstrução de gênero totalmente insana com insinuações pornográficas.  Nota: Regular

Recomendação: Zumbilandia Cansado de assistir filmes de zumbis que pesam a mão em arcos dramáticos, onde tudo é rodeado por pessimismo, em que as pessoas são os verdadeiros inimigos com sua loucura e medo? Zumbilândia é uma ótima opção para sair fora da rotina. Os personagens de Ruben Fleischer não se lamentam do mundo apocalíptico que vivem. Eles apenas sobrevivem de sua maneira. Os zumbis não são vistos apenas como ameaça, mas como uma forma de diversão. Tendo outras preocupações do que só fugir dos mortos-vivos. Por exemplo, comer bolinhos e conversar bastante com Bill Murray em sua mansão.  Se tornando um dos melhores filmes do gênero dos últimos anos, Zumbilândia mostra como um mundo morto ainda pode ser bem vivo. Nota: Foda