Adele
 
Impossível terminar o ano sem citar um dos maiores destaques de 2011: Adele. Com o mundo “dominado” por Lady Gaga cuja musicalidade está em conjuntura com o cenário atual, pessoalmente, achava difícil Adele superá-la como fez quando ouvi o álbum 21 antes do lançamento, pelo site da gravadora.

 
Isso porque, 21, começa num estilo folk animado com backing vocals seiscentistas nas duas primeiras faixas “Rolling in the Deep” e “Humor Has It”. Depois o ritmo desacelera e se torna dramático, fortemente acompanhado de piano e voz em “Turning Tables”, se transformando em uma canção melancólica, acompanhada de violão daquelas que você ouve despretensiosamente numa rádio. Mas a raiva e a tristeza da desilusão amorosa tomam conta em “Set Fire to the Rain”. Piano e bateria são sons claramente marcantes nesse álbum, porém o baixo fará companhia expressiva em “He Won’t Go” como sempre fez no R&B dos anos 70/80. Aliás, essa música é uma emulação de canções do estilo, por isso, com certeza, você terá certeza que já a ouviu antes.
 
Adele
Em seguida, voltamos para o piano e voz dramáticos em “Take it All”. Quando estamos prestes a cortar os pulsos, eis que surge “I’ll Be Waiting” canção plenamente Soul Music para dar uma agitada no clima. Apesar da tentativa de ensaiar uma animação, 21 está em harmonia com os corações partidos, voltando ao R&B com “One and Only”, dessa vez, com uma interpretação visceral do blues por Adele. Em contraponto, surge a elegância e os violões chorosos de “Lovesong”.
 
E, para fechar, a música que é tema de novela: “Someone Like You”. Em termos de arranjo, nada demais – piano e voz – mas a letra é dual. Ao mesmo tempo em que a personagem faz um discurso amigável de que superou o término do relacionamento, ela não disfarça a tristeza e a vontade de voltar para seu amado. Enfim, 21 é um álbum de canções românticas que, por vezes, retoma a musicalidade da Black Music dos anos 60 e 70 e também à simplicidade que um pianista e uma cantora proporcionam com belíssimas canções, o que é atemporal. Talvez a atemporalidade, a retomada de estilo (introduzida no cenário por Amy Winehouse) e a dor-de-cotovelo sejam ingredientes bem eficazes para superar o estilo “life is a dancefloor” de Gaga.
 
Tracklist:

01. Rolling In The Deep
02. Rumour Has It
03. Turning Tables
04. Don’t You Remember
05. Set Fire To The Rain
06. He Won’t Go
07. Take It All
08. I’ll Be Waiting
09. One And Only
10. Lovesong
11. Someone Like You

 

Otimo