Primeiro post em conjunto. A colaboradora (e minha amiga) Renata Barbosa comentou o álbum Forevermore do Whitesnake, enquanto fiquei a cargo do inédito I’m With You do Red Hot Chili Peppers. Espero que gostem. forevermore O bom e velho hard rock em alto e bom som: esse é o Forevermore do Whitesnake. Guitarras distorcidas, bateria marcando presença e a voz furiosa e impecável de David Coverdale, uma combinação fadada ao sucesso. Quem já conferiu ao menos “Love Will Set You Free”, teve um belo aperitivo de como será a pegada das músicas mais pesadas. Porém como numa banda de hard que se preze, não pode faltar uma balada romântica; ela é “Easier Said Than Done”, apesar de pecar um pouco no solo de guitarra podendo ser mais marcante. “One of These Days” e “Fare Thee Well” são músicas semi-acústicas, lindíssimas, além da canção que começa acústica “Forevermore”, fechando melodicamente um álbum tão romanticamente raivoso, fazem a tradição seguir adiante. De resto, segue o Whitesnake com suas influências setentistas e oitentistas dando aula de rock n’ roll para os ouvidos. Tracklist: 1. Steal Your Heart Away
2. All Out of Luck
3. Love Will Set You Free
4. Easier Said Than Done
5. Tell Me How
6. I Need You (Shine a Light)
7. One of These Days
8. Love and Treat Me Right
9. Dogs in the Street
10. Fare Thee Well
11. Whipping Boy Blues
12. My Evil Ways
13. Forevermore Nota: Foda redhot I’m With You é o nome escolhido para o décimo primeiro álbum de estúdio da banda Red Hot Chili Peppers. O primeiro sem o reconhecido guitarrista John Anthony Frusciante. Depois de 5 trabalhos com o guitarrista, a banda encara o novo cd como um recomeço. “Uma nova banda” afirma o baterista Chad Smith. E ao ouvi-lo, concordo com ele. Red Hot Chili Peppers mantém algumas de suas características, mas com o novo guitarrista Josh Klinghoffer, outros integrantes ganham mais espaço como o próprio baterista e o baixista Flea, destacando, para provar, as boas “Factory Of Faith” e o single “The Adventures Of Rain Dance Maggie”.  O vocalista Anthony Kiedis continua o mesmo. Ainda penso que a banda merecia alguém melhor no vocal, mas darei crédito por convencer na linda “Brendan’s Death Song” com sua voz suave. E com a saída de Frusciante, uma queda na criatividade de riffs era inevitável, mostrando um visível buraco da recente formação. Neste caso, lembro da frase citada: é uma nova banda. Muita sorte para ela, mesmo preferindo a antiga. Tracklist: 1. Monarchy of Roses
2. Factory of Faith
3. Brendan’s Death Song
4. Ethiopia
5. Annie Wants a Baby
6. Look Around
7. The Adventures of Rain Dance Maggie
8. Did I Let You Know
9. Goodbye Hooray
10. Happiness Loves Company
11. Police Station
12. Even You Brutus?
13. Meet Me at the Corner
14. Dance, Dance, Dance Nota: Bom Obs: Nunca é demais lembrar a mudança de avaliação daqui no site. Veja.