AdV Antes de tecer elogios ao longa, queria contar um fato desagradável que testemunhei no cinema. Imaginei um pequeno público na sala, pois é difícil um trabalho autoral competir com os blockbusters que estavam nas salas ao lado como Capitão América e Transformers 3. Tirando meu egoísmo de cena, me enganei completamente.  Contudo, muitas pessoas foram assistir o novo filme de Terrence Malick, mas não estavam preparadas para a experiência proposta pelo cineasta, pois, no fim da sessão, grande parte do público bateu palmas ao ver os créditos finais. Palmas não de reconhecimento, mas de desprezo. Além de algumas piadas por “acharem” muito esquisito e chato. E olha que a versão do diretor é de 5 horas. O problema não estava na tela, mas no repertório do público diante duma obra prima como A Árvore da Vida. Quando se admira uma obra de arte, não basta apenas ver e julgar, a compreensão é uma jornada longa que nos leva a vários tipos de interpretações. O estranhamento no começo é normal, as pessoas tem todo o direito de achar péssimo o filme, mas que o entenda e tenha argumentos para isso. Eu só tenho a agradecer a oportunidade de assistir filmes que proporcionam nosso mais valioso dom: o pensamento. Para uma reflexão melhor de nós mesmos. AdV3 Qual a nossa importância diante o universo que se move a bilhões de anos? Estamos aproveitando esse presente que é a vida? Ou vagamos perdidos esperando o nosso fim? Expondo cenas simbólicas, surgimento do planeta, outras questões são apresentadas, sempre questionando a existência do criador ou a importância da humanidade para ele. Malick divide nosso caminho em duas partes: o da graça e o da natureza. O da graça não espera de nós provas para se viver. É a liberdade, o carinho, representada pela mãe (Jessica Chastain) da família O’Brien. O pai (Brad Pitt), ao contrário, é a natureza que sufoca, machuca e exige dedicação para nos fazer crescer fortes e donos do nosso próprio destino. No centro da trama, temos o filho Jack (Hunter McCracken na adolescência; Sean Penn já adulto) que está deslocado no mundo, já que não entende as ações de seu pai e, na vida adulta, sofre uma crise existencial.  AdV1 Junto com uma equipe brilhante como o compositor Alexandre Desplat (responsável pela trilha sonora de Harry Potter e as Relíquias da Morte – Parte 1 e 2) e o supervisor de efeitos especiais Douglas Trumbull (2001, Uma Odisseia no Espaço), nos entrega uma experiência cinematográfica única. Belas cenas do início do planeta acompanhadas por música clássica, é um espetáculo para uma reflexão de que o planeta continuará se transformando até o seu fim, deixando apenas uma questão: o que faremos até o nosso? E com a excelente fotografia de Emmanuel Lubezki, intercala imagens que leva os personagens a conhecer as possíveis respostas para suas vidas.  Representando o caminho de qualquer outro ser humano. AdV2 A Árvore da Vida é um filme com um tema vasto para várias interpretações e conclusões, ótimo para discussão entre os amigos. Uma experiência religiosa independente da sua crença. Malick nos lembra que apesar de nossa insignificância diante o universo, temos o sentimento que vale por todo ele. O amor.  Trailer: The Tree of Life
EUA , 2011 – 139 minutos
Drama Direção:
Terrence Malick Roteiro:
Terrence Malick Elenco:
Hunter McCracken, Brad Pitt, Jessica Chastain, Sean Penn, Tye Sheridan, Laramie Eppler Foda