XM2 Diversas razões explicam minha ansiedade pela estreia de X-Men: Primeira Classe, mas irei me conter em apenas duas. A primeira corresponde a volta de Bryan Singer, diretor dos dois primeiros (e excelentes) filmes, agora responsável pelo roteiro junto com um time formado por Ashley Miller, Zack Stentz e Jane Goldman. Outra razão é o diretor Matthew Vaughn (também é co-roteirista), por ser simplesmente o responsável por um dos meus filmes preferidos Kick-Ass: Quebrando Tudo, mostrando sua competência para adaptações como podemos ainda conferir em Stardust. Depois de sair do cinema, tive a certeza que a espera não foi em vão. X-Men: Primeira Classe é o melhor filme da série em todos os aspectos. Um orgulho para qualquer mutante.  XM1Qual o diferencial de um ótimo filme de super-herói dos fracassados? A resposta é o desenvolvimento de seus personagens. O quanto o público se identifica com o herói e entende suas ações. Saber trabalhar a mudança de pensamento e atitudes que eles terão ao decorrer da história. Um bom exemplo disso é a franquia Homem de Ferro, diferente do roteiro apressado de Thor. Nunca deve achar que os efeitos especiais possam ser a atração principal e sim um complemento visual. X-Men consegue fazer isso com maestria, tendo um balanço entre o enredo e as fantásticas cenas de ação. Pois acima de tudo, esse não é um filme sobre mutantes salvando a humanidade; é sobre mutantes tentando sobreviver diante a humanidade. Debatendo questões políticas, éticas, filosóficas, e, principalmente, sobre o preconceito. E no centro desse debate, temos Mística (Jennifer Lawrence), uma mutante infeliz por sua aparência e usando seu poder de transformação para se esconder dos humanos. Dois mutantes irão lhe mostrar caminhos diferentes de seguir sua vida. A história ficará dividida nessas duas ideologias, cada uma baseada pela visão de seus líderes. Magneto e Professor XXM3 Em plena década de 60, somos apresentados a origem dos X-Men, acompanhando a história de grandes amigos: Charles Xavier, Professor X, e Erik Lehnsher, Magneto. Duas belas atuações de James McAvoy e Michael Fassbender. Um é mais galanteador, bon vivant, telepata e, recém aprovado como professor, defende a ideia de que humanos possam aceitar os mutantes. Porém, do outro lado da moeda, temos Erick. Deste cedo conheceu a maldade humana através das torturas sofridas nas mãos dos nazistas. Experiências que buscavam resultados do seu poder magnético. Justificando sua opinião pessimista sobre os humanos, pois conheceu como eles podem ser perigosos diante o desconhecido, o diferente. E assim temos duas ideias que irão sendo reforçadas e transformadas até o final do filme. Graças a um vilão digno da complexidade de seus adversários. XM4Kevin Bacon é Sebastian Shaw, líder do Clube do Inferno, que planeja destruir os humanos usando seus próprios medos diante a iminente 3ª Guerra Mundial. Sua ambição não é muito diferente de outros líderes que pregavam a existência de apenas uma raça superior. Até os mutantes tem o seu Hitler. E todas suas ações resultam na Crise dos Mísseis de Cuba, um dos momentos mais tensos da história mundial e do filme. Um momento que tive a oportunidade de ver uma aula de montagem paralela quando os três personagens centrais da trama se encontram no clímax. Nunca esquecerei a belíssima e impactante cena da moeda. X-Men: Primeira Classe consegue ser um excelente filme de verão. Ao mesmo tempo que diverte, tem suas surpresas (especialmente para os fãs) e emociona. Além de personagens complexos com temas que, apesar dos anos, se encontram atuais em nossa sociedade. O preconceito ainda não entendeu que somos diferentes. Mas o primeiro passo sempre será a aceitação e o orgulho de quem somos. Trailer: X-Men – First Class
EUA , 2011 – 132 min.
Ação / Aventura Direção:
Matthew Vaughn Roteiro:
Bryan Singer, Ashley Miller, Zack Stentz, Jane Goldman, Matthew Vaughn Elenco:
James McAvoy, Michael Fassbender, Kevin Bacon, Rose Byrne, Jennifer Lawrence, Beth Goddard, Morgan Lily, Oliver Platt, Álex González, Jason Flemyng, Zoë Kravitz, January Jones, Nicholas Hoult, Caleb Landry Jones, Edi Gathegi, Corey Johnson, Lucas Till, Laurence Belcher, Bill Milner Foda