0O poder de convencer as pessoas através da oratória não é segredo para ninguém. A persuação está presente na nossa vida em todos os meios seja para nos fazer comprar algum produto ou apoiar uma ideologia. As religiões souberam durante anos usar esse dom (e ainda o fazem) para garantir o seu pão nosso de cada dia. Através das palavras de Deus, escrita pelos homens, ganhou milhões de fiéis e aproveitou de sua fé para vender o Deus melhor. O mais justo. E num cenário onde hipoteticamente a diferença de crenças levou a uma guerra nuclear que praticamente dizimou a Terra, é o ambiente de O Livro de Eli. Os irmãos Allen e Albert Hughes (Do Inferno), com o roteiro de Gary Whitta, nos mostra a jornada de Eli (Denzel Washington) que caminha, guiado por uma voz, em direção ao oeste com a missão de levar a única edição da Bíblia num lugar aonde ela não será usada como uma forma de poder e sim como uma luz para um novo recomeço dos seres humanos através do conhecimento. 00 Se está preocupado em ser mais um Todo Poderoso, o filme não tenta se passar por uma propaganda católica dizendo que a salvação da humanidade está em sua religião, no seu Deus. Vai mais além, podemos dizer (baseando no filme) que a valorização está na cultura e no conhecimento que ela traz. A História humana em primeiro plano para fazer o homem não repetir os mesmos erros do passado. Mas como todos sabem, não é bem isso que anda acontecendo. E não mudaria pelo simples fato da extinção humana ter pegado de raspão. O antagonista Carnegie (Gary Oldman) representa todos os homens que usaram a religião para enganar as pessoas. Possuindo o poder da palavra “divina” com o objetivo de se aproveitar da fé e assumir o controle de tudo. E numa impactante atuação de Oldman, nós temos a definição da importância do livro: “não é apenas um livro, é uma arma”.  000 A fotografia de Don Burgess é de tirar a poeira. A ambientação nos prende a cada céu mostrado. As lutas viram uma dança sombria com muito estilo. E cada movimento de Eli para matar seu oponente completam o belo  trabalho técnico da equipe. O final pode parecer arrastado, mas não tira o brilho e o potencial que o novo filme dos Hughes leva consigo. As suas críticas sociais como a importância da água quando dinheiro não é mais necessário. E assim quando não restar mais nada do que pensamos ser valioso, o homem verá quanto sua fé o fortalece. Seja em você mesmo ou num objetivo. Pois nada irá detê-lo. O conhecimento não tem preço. Trailer

The Book of Eli
EUA , 2010 – 118
Ação / Aventura / Ficção científica Direção:
Allen Hughes e Albert Hughes Roteiro:
Gary Whitta Elenco:
Denzel Washington, Gary Oldman, Mila Kunis, Ray Stevenson, Jennifer Beals, Evan Jones, Joe Pingue, Frances de la Tour, Michael Gambon Nota: 8