Locadora especial no Pisovelho: Trilogia O Senhor dos Anéis. Três filmes obrigatórios para quem adora cinema. Na minha opinião, uma das melhores trilogias ao lado do Poderoso Chefão.
Dirigido pelo genial e competente Peter Jackson e adaptado da obra de J.R.R. Tolkien por Fran Walsh, Philippa Boyens e o próprio Jackson. Com personagens memoráveis interpretados principalmente por Viggo Mortensen (Aragon), Liv Tyle (Arwen), Ian McKellen (Gandalf), Sean Astin (Sam), Elijah Wood (Frodo) e Andy Serkis (Gollum/Smeagol).
 
A Sociedade do Anel
 

Frodo e Sam são encarregados pelo mago Gandalf de destruir O Anel. Se o objeto for recuperado por seu dono Sauron, a Terra-Média entrará numa era de escuridão e inevitavelmente a sua destruição.
Para que eles consigam realizar sua missão, uma sociedade é formada por bravos cavaleiros de diferentes povos em fim de proteger os guardiões do Anel.
O filme é um ótimo começo para série, sendo focado mais na história daquele mundo fantástico e com fantásticas e empolgantes cenas de aventura para fisgar o público logo na primeira assistida.
O único ponto fraco foi esperar mais dois anos para saber o final, porém você já pode ver os três de uma vez. Se tiver tempo, é claro.

Nota: 10

As Duas Torres
 

A guerra pela Terra-Média começou. Enquanto Frodo e Sam caminham até a Montanha da Perdição aonde poderão destruir O Anel, em Mordor, Gandalf se junta com Aragon, Gimli, Legolas e os soldados de Rohan comandandos pelo rei Théoden para travarem a primira batalha contra o exército de Sauron comandando pelo mago branco Saruman.

Entre os três filmes, é o mais explicativo e cansativo. Porém tudo é recompensado pelo seu final, com cenas de lutas misturadas de violência, criatividade e um pouco de humor.
Uma ponte bem construída entre o primeiro e o perfeito terceiro filme.
 
Nota: 8

O Retorno do Rei
 

11 Oscars. Uma das maiores bilheterias da história do cinema. Completo, perfeito e emocionante.

A única salvação contra Sauron é a destruição do Anel. O seu exército está maior e mais forte. Frodo e Sam correm contra o tempo e para piorar a jornada, Gollum, uma criatura obcecada pela jóia, fará de tudo para atrapalhar os dois, podendo até matá-los.
Quando vejo O Retorno do Rei, penso em como um filme pode ser sublime por sua grandeza. A produção e o roteiro são algo fora do comum que raramente se vê na telona. Além do tema principal, temos vários sub-temas que tranquilamente podem virar trabalhos de universitários ou professores.
Uma obra prima, junto com outras obras, poderia estar passando nos mais famosos e respeitados museus do mundo.
Fechando com chave de ouro, Peter Jackson nos dá com o Senhor do Anéis, mais um motivo para amar a sétima arte.
Nota: 10