Quando era criança e assisti "O Estranho Mundo de Jack" foi amor a primeira assistida ao trabalho do cineasta e roteirista Tim Burton. Durante um bom tempo pensei que era dirigido por Burton, até o nome original do filme poderia indicar isso: Tim Burton’s The Nightmare Before Christmas. Leve engano. Mesmo a idéia sendo dele, não foi o responsável por dar vida aos personagens. E esse mago do Stop Motion se chama Henry Selick. O melhor diretor atualmente que trabalha com esta técnica. E, agora, nos traz sua mais nova magia ou, se preferir, sua mais nova obra de arte: Coraline e o Mundo Secreto.
 
Antes de começar a escrever sobre o filme, vamos entender melhor o que seria a tecnologia Stop Motion. Para facilitar, resolvi resumir um parágrafo que encontrei no site wikipédia: é uma modalidade de animação que utiliza modelos reais em diversos materiais, dentro dos mais comuns, estão a massa de modelar. No cinema, o material utilizado tem que ser mais resistente e maleável, visto que os modelos têm que durar meses, pois para cada segundo de filme são necessárias aproximadamente 24 quadros (frames). Os modelos são movimentados e fotografados quadro a quadro. Estes quadros são posteriormente montados em uma película cinematográfica, criando a impressão de movimento. Nesta fase podem ser acrescentados efeitos sonoros como fala ou música.

É uma técnica fantástica, porém pouco usada até pelo seu tempo de produção e previsão de uma bilheteria não tão extensa, pois no mundo do cinema o dinheiro é o principal motor para um estúdio aceitar um projeto. E trabalhos assim são tão raros que não podemos deixar de apreciar. Principalmente se o nome Henry Selick estiver a frente dele. E em seu novo filme, o trabalho é detalhamente perfeito. Deste o balançar da árvores ao abrir das flores temos momentos de puro amor e paciência, detalhes tão minuciosos que ganham vida numa não tão simples sequência de frames. Destaque para a cena do Jardim que não tem no livro e ficou louvável aos meus olhos. São praticamente oito anos da vida de Henry para essa menina de cabelo azul. Coraline (Dakota Fanning) é uma menina imperativa que depois de se mudar com os pais para uma casa enorme, não consegue achar nada interessante para fazer e se sente solitária com seus pais dedicados aos trabalhos e vizinhos nada normais. E ainda consegue um amigo que ela não gosta nenhum pouco. Mas numa noite sua vida muda completamente quando ela descobre uma porta para um mundo alternativo. Um lugar onde todos a amam, todos são legais, todos vivem para ela. Um mundo perfeito, direto dos sonhos de Coraline ou de qualquer criança insatisfeita com a vida, mesmo olhando para o próprio umbigo. Seria perfeito se não fosse pelo fato de todos terem botões no lugar dos olhos. E isso será apenas o começo do que irá assustá-la no desenvolvimento da história. Uma história que começa como um conto de fadas e vai ficando cada vez mais sombria como um sonho que se torna um pesadelo. A história é do livro infanto-juvenil de Neil Gaiman. E que até incentivou o diretor a criar sobre a sua obra. Numa adaptação algumas coisas são incluídas no roteiro, pois a linguagem do cinema é obviamente diferente do livro. E aqui a criação não teve limites, a criatividade e amor estão lado a lado em cada frame do filme. Além da cena já citada do Jardim, temos um novo personagem Wybie Lovat. Um acerto no roteiro. Com ele temos mais movimento no enredo, e aparece como peça fundamental na obra. Esta Coraline realmente é a de Henry.

O trabalho já é de assustar se formos pensar que cada movimento ali é um deslocamento da massinha. Agora imagine o filme em 3D. Imaginou? Eu confesso que ficarei só na imaginação, pois ainda não fui num cinema com essa tecnologia. Mesmo assim deve ser belíssimo. E, antes que eu esqueça, Coraline é o primeiro projeto 3D em Stop Motion. Além de ser belo, entrou para a história cinematográfica.
 
Henry Selick nos entrega mais que uma obra prima, nos dá a oportunidade de ver que o cinema não é apenas baseado em interpretações e prêmios pelo mundo afora, além das gordas e magras bilheterias. É um trabalho de toda uma equipe que dedica a sua vida para que nós possamos sonhar, se emocionar e amar como se fosse nossa própria criação. Como se fosse o nosso próprio Mundo Secreto.
 
Trailer:
 
Coraline
EUA , 2009 – 101
Animação / Fantasia

Direção:
Henry Selick Roteiro:
Henry Selick sobre livro de Neil Gaiman Elenco:
Dakota Fanning, Teri Hatcher, Jennifer Saunders, Dawn French, Keith David, John Hodgman Nota: 10