Há quem goste e há quem odeie o jeito novo de fazer comédia que o ator Jim Carrey introduziu ao cinema. Aquelas caretas exageradas (algumas vezes desnecessárias), o jeito atrapalhado de andar, um humor muito mais corporal do que auditivo. Ou seja, um ator que não tem medo de errar.

 

Sim, Senhor (Yes, Man) é, acima de tudo, mais um daqueles filmes onde o personagem tem que passar por uma experiência fora do normal para se tornar outra pessoa. A jornada para algo novo. A história é de Carl Allen (Jim Carrey), um homem pessimista e solitário, que depois de participar de um culto ao otimismo, começa a dizer Sim para todas as coisas da vida. Bem, pode confessar que acabou de lembrar de “O Mentiroso”, outra comédia estrelada por Jim. Uma ótima comédia, deixando meu comentário tendencioso.

 

Mesmo sendo um enredo totalmente previsível, quero deixar claro que com tantas comédias saindo para o nosso entretenimento (muitas poderiam ir direto ao lixo), essa se supera pelas suas piadas impagáveis e bem boladas. Diferente de tudo que se vê ultimamente. Recheado de ótimas cenas e interpretações como um delicioso doce, o filme traz a linda atriz e cantora Zooey Deschanel, que me apaixonei deste de “Fim dos Tempos”. A sua doçura e seus olhos azuis hipnotizam qualquer um que a veja por um segundo.

 

E sabendo levar com competência o filme, o diretor Peyton Reed (Abaixo ao Amor) sabe muito bem criar divertimento para o público. A festa do Harry Potter é de uma criatividade sem tamanho (destaque para Rhys Darby que praticamente rouba a cena como o chefe de Carl). Mas a parte que eu recomendo deste já é a cena do suicídio, você se envolve totalmente com ela e, como o homem que quer se matar, se esquece do que está acontecendo. Não se incomode se te pegar cantando junto com Carrey.

 

Jim Carrey está de parabéns na sua nova comédia. E eu digo Sim para ele. Digo Sim ao riso.

 

 03-bom

 

Trailer: