Para começar, nada melhor do que uma critica sobre um dos álbuns mais esperados entre os fãs do rock and roll, nem todos, mas da grande maioria. A proposta do blog é dizer qual foi a primeira impressão que tive quando ouvi “Chinese Democracy”, novo álbum da banda Guns N´Roses depois de 20 anos de espera. É claro que depois de um tempo de audição a opinião de cada um pode mudar. Mas a minha não teve uma grande mudança.

 

Já deixo claro que não farei comparação com o Guns antigo, estamos numa nova fase, num novo mundo e tudo precisa de mudanças, até o senhor Axl Rose. O CD abre com a forte “Chinese Democracy” que logo de ínicio me conquistou e já provocou polêmicas até na China. Sem perder a força vem “Shackler’s Revenge”, que para quem gosta de um bom rock com pitada eletronica (uma das principais características do album) é uma boa pedida. Na terceira posição, mas, para mim, está em primeira, “Better” é a melhor música do álbum. Com um refrão viciante e uma melodia que te empolga do começo ao fim, é a obra prima do Chinese Democracy.

 

Em seguida temos a belíssima “Street Of Dreams”, com Axl Rose mostrando todo o seu talento no piano e toda sua virtuosidade no vocal, colocando a música entre as melhores do CD. Porém nem tudo é perfeito, “If The World” vem para mostrar exatamente isso. Uma balada chata, enjoativa e irritante. Tipo de música que depois de um tempo você faz questão de pular.

 

“There Was A Time” com certeza será uma da mais aclamada pelos fãs do Guns. Com seus mais de 6 minutos, tem tudo que se espera do roqueiro: músicas de peso com melodias inesquecíveis. “Scraped” e “Riad N’ The Bedouins” são boas músicas, pesadas e com boa pegada. Porém estão ali para encher o CD.

 

Com participação de Sebastian Bach, “Sorry”, nem fede e nem cheira. Sinceramente prefiro ouvir a “Back In The Saddle” que os dois regravaram para o álbum “Angel Down” do Sebastian. Continuando, a minha empolgação pelo começo vai se acabando com “I.R.S.”, segue o mesmo padrão de algumas já citadas: pesada, tem pegada, mas não acrescenta nada ao album.

 

Outra que não suporto ouvir é “Madagascar”, nada contra músicas lentas, eu adoro músicas que você para e ouve prestando atenção em tudo em que ela pode te dar. Mas essa só te dá náusea. Para nossa sorte, parece que ele estava querendo dar uma lição a si mesmo e na próxima música “This I Love” mostrou como se faz uma balada. Uma música que já nasce um clássico. Destaque para o lindo solo que lembra boas épocas do Guns. E fechando o disco temos “Prostitute”, outra música para encher linguiça. Mas não compromete em nada o que já está comprometido.

 

Enfim chegou a democracia, agora só falta chegar o ótimo rock que o Guns já fez algum dia.

 

Tracklist:

 

1. Chinese Democracy
2. Shackler´s Revenge
3. Better
4. Street of Dreams
5. If the World
6. There Was a Time
7. Catcher In The Rye
8. Scraped
9. Riad N´ The Bedouins
10. Sorry
11. I. R. S.
12. Madagascar
13. This I Love
14. Prostitute

 

03-bom

 

Clipe: